Dietas populares valem a pena?

Dietas populares valem a pena?

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 11:06

O excesso de peso é um problema enfrentado por muitas pessoas que vivem buscando soluções para emagrecer. Para se ter uma noção, de acordo com dados da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados este ano, aumentou o percentual de pessoas obesas no Brasil. Em números, 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos estão acima do peso. Diante desse cenário, muitos tentam correr atrás do prejuízo para ficar de bem com a balança e investem nas dietas. E, na verdade, nem precisa de muito para recorrer a elas. Basta uma gordurinha localizada ou alguns quilinhos a mais para que a mulherada (e cada vez mais homens também) decida fechar a boca. Aí vale tudo: Dieta dos Carboidratos, das Proteínas, dos Pontos e até do Tipo Sanguíneo. Mas será que elas adiantam? Será que são saudáveis? Será que resolvem o problema a longo prazo? Para esclarecer todas essas dúvidas, nós mostramos as vantagens e desvantagens de seguir essas famosas dietas.

Dieta do Tipo Sanguíneo

Esta dieta relaciona a ingestão ou exclusão de alguns alimentos com o tipo de sangue de cada indivíduo. Para criá-la, os pesquisadores e naturopatas James D'Adamo e Peter J. D'Adamo traçaram história, antropologia e fisiologia dos tipos de sangue A, B, AB e O com os alimentos, personalidade e estilo de vida. A conclusão é que cada tipo sanguíneo se adapta melhor a determinado grupo de alimentos.

Segundo a endocrinologista da Associação Brasileira de Medicina Complementar, Berenice Cunha, a história da humanidade determina a alimentação de cada pessoa. Por exemplo, o tipo O é característico dos primeiros humanóides, que comiam alimentos crus, plantas silvestres, insetos e restos de animais, tinham atividade física e secreção ácida gástrica intensa. Isso explica porque pessoas com sangue O têm como base uma dieta rica em proteínas de origem animal.

Depois dessa fase, os homens deixaram o sistema de coleta e caça e passaram a cultivar alimentos, domesticar animais e viver em comunidades. Os grãos passaram a fazer parte da alimentação e teria ocorrido uma mutação genética para adaptar o homem ao seu novo meio ambiente. Surgiu o sangue A, com redução da acidez gástrica.

Para a teoria, o sangue B é fruto de uma fusão e migração das raças da África para a região do Himalaia. Além disso, seria melhor adaptado ao clima e ao retorno à alimentação carnívora, que ganhou o leite e derivados. O tipo AB surgiu mais recentemente e é o mais raro. Ele resulta da miscigenação dos grupos anteriores e tem acidez estomacal menos intensa, mas seu metabolismo necessita de mais proteína animal do que o tipo A.

Embora algumas pessoas sigam esse método, ele é muito questionado. O endocrinologista Felippo Pedrinola, por exemplo, não é a favor. "Pessoalmente não acredito nessa dieta porque não há dados de literatura sérios que a comprovem. Por ser uma dieta de baixas calorias, irá favorecer o emagrecimento, porém proibindo certos alimentos talvez sem necessidade"

Vantagens: a nutricionista Ana Claudia Montezino escreveu em seu livro "Forma Light - conheça a dieta mais adequada a seu estilo de vida", que essa pode ser considerada uma boa dieta quando fica claro que o tipo sanguíneo está de fato relacionado à rejeição de algum alimento. Isso pode ser verificado por meio de um acompanhamento clínico constante e sintomas dos quais o paciente se queixa.

Desvantagens: Para ela, a desvantagem está em acreditar que o organismo de indivíduos com o mesmo tipo de sangue, residentes em distintas partes do mundo, reage de modo idêntico aos alimentos recomendados.

Dieta dos Pontos

Nesta dieta, utiliza-se uma tabela de alimentos que têm uma equivalência em pontos. Cada ponto corresponde a cerca de 3,6 calorias e, de acordo com o perfil do indivíduo, há um valor de pontos a ser consumido por dia (isso vai depender da altura, peso, sexo, se pratica atividade física e a quantidade de massa muscular do corpo). A partir disso, cada um monta o seu cardápio e anota o quanto já consumiu em um caderninho durante todas as refeições, sem restrições a qualquer alimento.

Vantagens: praticidade e comodidade, já que é possível comer de tudo, desde que não ultrapasse o limite dos pontos, o que facilita a continuidade da dieta por um período maior.

Outro ponto positivo é a não proibição de nenhum tipo de alimento. "A proibição pode fazer com que as pessoas supervalorizem o alimento e após um período de abstinência, voltem a consumir sem controle", disse a nutricionista Eliane Romantini. Porém, ela alerta que a ingestão deve ser controlada. "O consumo de alimentos que tem alto teor calórico, com excesso de gordura e açúcar e baixo valor nutritivo, como doces e frituras, deve ser feito em quantidades pequenas e com freqüência baixa, não pode fazer parte do dia a dia", diz.

Desvantagens: esse programa pode fazer com que a pessoa deixe de consumir comidas saudáveis por conta desse sistema de pontos. Ela pode acabar substituindo um almoço balanceado por um lanche por ter o mesmo número de pontos ou então trocar duas frutas por um chocolate. Dessa forma, o indivíduo pode ingerir uma dieta de baixa caloria, conseguir perder peso, porém, a má qualidade alimentar vai continuar prevalecendo.

Dieta da Proteína

É uma dieta com ingestão exclusiva de proteínas, ou seja, com alto consumo de gordura animal. Pode-se consumir ovos e carnes à vontade. De acordo com o livro "Forma Light - Conheça a dieta mais adequada a seu estilo de vida", essa dieta é composta de quatro fases diferentes: a prmeira reduz o consumo de carboidratos a 20 gramas por dia. Resultado: a cetose (que pode ser resumida como a eliminação de cetonas pelo organismo, vindas da gordura) acarreta o emagrecimento. Porém, essa substância é tóxica para as células.

Vantagens: promove uma perda de peso rápida

Desvantagens: Segundo a nutricionista Carolina Paiva de Freitas, o consumo de proteínas é livre, mas ele traz o aumento de ingestão de gordura também. Na fase inicial, podem ocorrer sintomas como náuseas e dor de cabeça. A longo prazo, ela pode elevar a taxa de colesterol sanguíneo, aumentando assim o risco de doenças cardíacas

Outra desvantagem é que a falta de opções no menu também dificulta a adesão a essa dieta. Já pensou comer ovos, carnes, leites e laticínios em todas as refeições?

Dieta dos Carboidratos

Essa dieta consiste na seleção dos tipos de carboidratos que serão consumidos, contudo, não restringe alimentos como a proteína. Nesse programa, alguns carboidratos simples devem ser excluídos, assim como açúcar e doces. Além disso, o consumo de alimentos refinados e industrializados é desestimulado.

Vantagem: proximidade entre o equilíbrio alimentar e a redução de peso

Desvantagem: um fator limitante pode ser a dificuldade em se adaptar à dieta em virtude de uma vida agitada e pouco tempo dedicado à alimentação

Como vimos, o que essas dietas têm de famosas, elas têm de furadas, ou seja, podem até emagrecer, mas não a longo prazo e algumas fazem até mal à saúde. Como fazer para perder peso então? A reeducação alimentar é o segredo do sucesso. "O importante é que sua consciência alimentar mude. Assim, sua disposição por buscar uma nutrição melhor irá levá-lo a alterar hábitor inadequados", diz a nutricionista Ana Claudia Montezino em seu livro "Forma Light - Conheça a dieta mais adequada a seu estilo de vida".

Uma alimentação saudável, de acordo com a nutricionista Eliane Romantini, é quando a pessoa come de cinco a seis refeições por dia, com equilíbrio entre os grupos alimentares, sem excluir nenhum deles. "O ideal é consumir um tipo de carboidrato, proteína, vegetal e fruta nas principais refeições do dia. A alimentação deve ser variada, colorida e ter todos os nutrientes para um bem estar físico e mental", orienta.

Para obter um emagrecimento saudável, o ideal é combinar boa alimentação com exercícios físicos. "Quando se faz atividade física, em especial musculação, junto com alimentação equilibrada, o exercício permite que a pessoa aumente massa muscular. Com o aumento de massa, o metabolismo fica mais acelerado e faz com que a pessoa tenha maior gasto de gordura corporal. Caso contrário, se a pessoa perde massa, o metabolismo fica lento, o que dificulta a perda de peso", finaliza Eliane.

veja também