Entenda a pele oleosa

Entenda a pele oleosa

Atualizado: Quinta-feira, 18 Março de 2010 as 12

O brilho e a sensação de rosto "sujo" são as principais queixas de quem sofre com a oleosidade. Porém, as soluções aparentemente certeiras (exagerar na lavagem!) para livrar-se dela causam justamente o efeito oposto. Veja como lidar de maneira correta com o problema. O dermatologista Adilson Costa, coordenador do Ambulatório de Acne da PUC de Campinas explica os detalhes

Por que algumas mulheres têm a pele mais oleosa?

Todo mundo possui glândulas sebáceas sob a pele. Mas o tamanho delas e a quantidade de sebo que elas produzem são determinados geneticamente. Ou seja, varia de pessoa para pessoa. As áreas do rosto mais comprometidas são aquelas da zona T - testa, nariz e queixo -, onde as glândulas sebáceas aparecem em maior número.

A oleosidade piora no verão?

Sim. Aumentar a produção de sebo é uma das primeiras respostas do organismo contra os danos da radiação solar. Entre outras funções, o sebo atua como um fotoprotetor leve e também impede a evaporação de água pela pele - mais intensa no calor -, mantendo-a íntegra, saudável e hidratada.

Esfoliar o rosto faz bem?

A esfoliação ajuda na hora de deixar a textura da pele mais uniforme e lisinha, pois remove impurezas, como células mortas e cravinhos superficiais que podem deixar o rosto com um toque áspero. Só que o ritual não deixa de ser um tipo de agressão, o que leva o organismo a produzir mais sebo para recuperar a barreira de proteção da pele. Por isso, ao contrário do que muita gente pensa, quem tem a pele oleosa deve esfoliar o rosto no máximo uma vez por semana e com produtos de ação menos abrasiva - dê preferência àqueles com grânulos maiores e bem redondos, como os de polietileno (e não os naturais), e em menor concentração.

Lavar o rosto várias vezes por dia ajuda?

Muito pelo contrário! Exagerar na limpeza pode causar o que se chama de efeito rebote: as glândulas sebáceas passam a produzir mais gordura para repor aquela que foi removida. Lavar o rosto com sabonete duas vezes ao dia, uma de manhã e outra à noite, é o suficiente para retirar o excesso de óleo. Mas se você ficar incomodada, prefira remover a oleosidade apenas com água. Os lenços de papel antibrilho também ajudam nessa tarefa.

Mesmo com a pele oleosa preciso passar hidratante facial?

Sim. O fato de a pele ser oleosa não significa, necessariamente, que o rosto esteja hidratado. Apesar de o excesso de sebo formar uma película protetora sobre a pele (o que já ajuda), a hidratação deve se estender às camadas mais profundas. Isso é possível com ativos que garantem a quantidade certa de água dentro das células. Para não piorar a sensação de oleosidade, procure por cosméticos com textura gel-creme e que tenham efeito matificante - que absorvem o excesso de oleosidade, deixando-o sequinho por mais tempo.

A alimentação pode agravar o problema?

Sim. De acordo com estudos recentes, os carboidratos, principalmente os derivados de farinha branca (pão, massa, biscoitos e doces em geral) e o leite desnatado, quando ingeridos, formam no organismo uma substância semelhante à insulina, que, por sua vez, estimula a produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Resultado: mais oleosidade na pele. Controlar o consumo desses alimentos é mais uma medida que colabora para quem sofre com pele oleosa.

Por Luciana Hruby

veja também