Escolas americanas de moda apostam no desperdício zero

Escolas americanas de moda apostam no desperdício zero

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2010 as 10:47

Imagine que você queira fazer um vestido. Então, compra alguma quantidade de tecido, desenha, corta e joga fora aquele pano que acabou sobrando. Agora imagine essa cena em grande escala. Escolas de moda do mundo inteiro produzem milhões de toneladas de lixo por ano, são cerca de 15 a 20% do tecido usado para confeccionar peças.

Para diminuir esses dados alarmantes, uma nova abordagem nas faculdades americanas de moda vem sendo implantada, a chamada Desperdício Zero. Este pensamento vai além da criação de peças orgânicas ou sustentáveis: parte do simples propósito de diminuir (ou quase zerar) a quantidade de resíduos deixados na confecção de peças de roupa.

A ideia de sucesso surgiu de experiências de um pequeno grupo de estilistas americanos. Eles notaram que a criatividade das peças de roupa poderia aumentar se topassem o desafio de não deixarem um só resto de tecido ir para o lixo.

Sandra Ericson, fundadora e diretora do Centro de Design Pattern, que estuda e ensina as tendências históricas e atuais do padrão de decisões, na Califórnia, explica que a ideia surgiu de maneira natural.

- A atualidade pedia uma ideia como esta.

O conceito de produzir peças bonitas, confortáveis e, ao mesmo tempo, utilizar todo o tecido oferecido pode parecer desafiador. Para o designer de moda Rissanen, que está completando um doutorado na Universidade de Tecnologia de Sidney (sua dissertação é intitulada Criação de Moda Sem Resíduos), a abordagem é inovadora.

- Eu basicamente tive que aprender a fazer tudo de novo.

Entre os experimentos, notou-se que uma forma de eliminar o desperdício é criar um padrão de vestuário que contenha bolsos, golas e mais acabamento. Outro método é simplesmente não cortar o tecido todo de primeira, mas, colocá-lo em um manequim, e, em seguida, cortar e costurar.

A intenção das escolas é formar uma geração de designers que fazem da sustentabilidade uma parte essencial do seu processo criativo, e incluí-la desde a criação de peças básicas até a alta costura.

A problemática do básico

Na segunda metade do curso, os alunos vão tentar fazer um jeans mais sustentável. Eles vão pensar não só na confecção da peça mas também em uma campanha incentivando os consumidores a usar menos detergente e ficar atentos a quantidade de água utilizada na lavagem.

veja também