Estilistas afirmam que modelos "encorpadas" facilitam o trabalho das marcas

Estilistas afirmam que modelos "encorpadas" facilitam o trabalho das marcas

Atualizado: Terça-feira, 1 Junho de 2010 as 9:28

Nesta 17ª edição do Fashion Rio, que acontece no pier Mauá, na zona central da cidade, o comentário geral nos bastidores e nas salas de desfiles é que as modelos estão mais "cheinhas" em comparação às temporadas passadas. O R7 conversou com algumas meninas para saber sobre esse novo padrão nas passarelas. A modelo Malu Mortolini, 16 anos, por exemplo, gosta da novidade e é da opinião de que as colegas estavam exagerando na silhueta macérrima.

- Não é que as modelos estão mais rechonchudas, elas estavam muito magras na edição passada.

A top Laís Ribeiro [foto, lado direito], 20 anos, fez coro à amiga e acha que nesta edição o padrão mudou para melhor.

- O último Fashion Rio estava cheio de new faces (nome utilizado no mundo da moda para falar sobre as meninas mais novas). Elas são muito magras. Nesta edição tem gente mais experiente, por isso que não tem modelo tão magra. Eu, então, não me privo de nada. Como de tudo.

Além de Laís, outra modelo mais experiente no mundo fashion, Viviane Oliveira, 18 anos, também credita a polêmica da magreza às novatas nas passarelas.

- Tem meninas que vão ao extremo. Tomam remédio e chegam a ter depressão. Acho bom esse padrão quase normal.

Mas a novidade divide opiniões no Fashion Rio. Natália Scherof, 17 anos, discorda da ideia por causa do padrão do mercado brasileiro, que ela considera rígido.

- Aqui temos que ter perna fina e quadril no máximo de 89cm. Não dá para descuidar.

Rebeca Prado, 16 anos, também não é muito fã da mudança.

- A gente tem que cumprir as medidas. Isso pode atrapalhar.

Apesar das opiniões divididas das modelos, alguns estilistas procurados pelo R7 aprovaram o novo padrão, como Carla Cavendish.

- Se elas usassem manequim 38 facilitaria tanto o nosso trabalho. Vou adorar. Elas são magras demais.

O estilista Melk, da grife Melk Z-Da, também concorda com as novas medidas.

- Acho ótimo. Não tem porque essa magreza. Hoje em dia a moda tem que se aproximar do real. A imagem da mulher da passarela tem que ser perto da do cliente.

Por: Daniella Machado

veja também