Evite contágios na hora de fazer as unhas

Evite contágios na hora de fazer as unhas

Atualizado: Sexta-feira, 24 Fevereiro de 2012 as 10:23

Na correria do dia a dia não é tão fácil ser fiel à manicure, falta tempo para se deslocar por exemplo até determinada profissional, aquela em quem você confia no trabalho e qualidade do material usado. Aí que mora o perigo. “É possível contrair HIV, hepatite B ouhepatite C por meio de um instrumento contaminado. Os danos são muito grandes”, alerta o professor e infectologista Alexandre Piva Sobrinho. 

A partir da secreção ou do sangue que sai da mão ou pé de uma cliente é que surge o problema. Aquele famoso “bife”, feito com uma picada de alicate, é a porta aberta para contágios, uma vez que muitos salões não esterilizam seus materiais.

E os cuidados com o ferimento também merecem atenção especial. “Não pode encostar a ponta do remédio no machucado e fazer o mesmo na próxima cliente. É preciso estancar pressionando com algodão e realizar a limpeza com água e sabão”, diz Piva. Além disso, Juliana Garavello, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, lembra que a acetona não serve para esterilizar nem limpar ferimentos – ela apenas remove o esmalte.

O problema da contaminação não se dá exclusividade com os itens reutilizáveis. Lixas de unha, lixas de pé e palitos de madeira (usado para tirar o excesso do esmalte) também podem ser condutores de vírus, bactérias e fungos. “Eles devem ser descartáveis, assim como o plástico que envolve a bacia para os pés. Se reaproveitados, podem causar manchas brancas nas unhas; deixá-las amareladas ou escuras; a cutícula pode inflamar e ter vermelhidão. Fora as verrugas ou olho de peixe no pé”, diz Juliana.

A única forma de evitar a contaminação é manter alicates, espátulas e palitos (de inox ou metal) durante uma hora, a 120 graus, na máquina esterilizadora autoclave. “A estufa comum não adianta, chega a 70 graus no máximo, e a todo instante as manicures abrem a porta, o que atrapalha o processo”, diz o infectologista.

A solução encontrada por alguns salões foi aumentar a quantidade de material para atender a demanda ao longo do dia. “Eu tenho doze alicates. A cliente sai, eu já deixo para esterilizar e pego outro. Mas metade delas traz o próprio material”, conta Edicleusa Santos, manicure do salão Bem Bonita, em São Paulo. Os procedimentos também passaram a ser mais modernos, o potinho de água para mergulhar os dedos foi substituído por luvas e sapatilhas plásticas com creme emoliente de cutículas. 

Leve o seu próprio kit

Os profissionais sugerem o uso do próprio kit de manicure e listam os itens necessários:

- Alicate de cutícula
- Alicate cortador de unhas
- Espátula de cutícula e raspador
- Palito (madeira ou metal)
- Lixa de unhas
- Lixa de pé
- Lixa polidora 

 

 

Com informações de IG

veja também