Fios no lugar certo

Fios no lugar certo

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 10:07

A calvície incomoda muita gente. Tanto homens quanto mulheres. Mas a boa notícia é que, atualmente, os tratamentos têm apresentado resultados bastante satisfatórios.

Graças a especialistas como a dermatologista Leila Bloch, que estuda a fundo os problemas capilares e se tornou referência em novas técnicas de transplante. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da North American Hair Research Society (NAHRS), a médica relata na entrevista a seguir quais são os tratamentos mais indicados para a queda de cabelos e explica como é realizada a cirurgia de transplante.

O que é considerado uma queda fora do normal?

Normalmente, perdemos cerca de 100 fios por dia, em média. Acima disso, já pode ser o início de algum processo inflamatório. Se você perceber que os fios estão caindo excessivamente por mais de duas semanas, é aconselhável procurar um médico dermatologista para avaliar as possíveis causas. Porém, em muitos casos, o cabelo não está só caindo, mas afinando e dando início a um processo de calvície.

Quais as causas da calvície?

A principal é a hereditária e os homens são os mais afetados. Embora existam várias causas para a queda de cabelo, cerca de 90% do total de perda capilar é ocasionada por uma doença conhecida como Alopecia Androgenética, quando acontece uma maior sensibilidade à ação hormonal da diidrotestosterona, o que faz com que os cabelos afinem, caiam mais rápido e não voltem mais.

Há como prevenir o problema?

Apesar da descoberta de tratamentos eficazes, a melhor opção ainda é a prevenção. Por isso, é importante identificar o problema precocemente. Para tanto, já existem exames e novas técnicas que usamos no consultório, como o Hair Check, aparelho que realiza a medida da massa capilar e contribui para identificar o porcentual de perda dos fios. O exame ainda conta com um videodermatoscópio, recurso que permite ao paciente o acompanhamento de toda a avaliação. A partir dessa análise, é possível indicar o tratamento ideal, caso a caso. Os produtos de uso externo que ajudam a controlar a perda de fios são prescritos, normalmente, como coadjuvantes. Temos ainda medicamentos de uso oral e equipamentos com tecnologia de última geração, como o Laser Capilar para Fotobioestimulação.

Que componentes são essenciais nos tratamentos tópicos?

Para ajudar na restauração da saúde dos folículos capilares, o ativo antiqueda deve ter efeito antiinflamatório e antioxidante, além de se fixar no couro cabeludo. Alguns ativos apenas nutrem e fortalecem os fios e não atingem o objetivo de combater a queda. É preciso escolher o produto tópico adequado para retardar a chamada “fase de descanso dos fios” e alongar o período de crescimento deles.

Quais os principais ativos que estimulam o crescimento dos fios?

A escolha do produto deve ser acompanhada da comprovação dos benefícios por meio de métodos científicos. Entre os princípios ativos que estimulam o crescimento dos fios, destaco medicamentos à base de Minoxidil, 17-alfa-estradiol e Serenoa Serrulata. Mas outros ativos mais conhecidos também ajudam a reduzir a queda, principalmente se a mesma estiver relacionada a um quadro de caspa, como piritionato de zinco, piroctone olamina e ácido salicílico.

Quando o transplante é necessário?

Quando a rarefação capilar passa a incomodar esteticamente, já é possível realizar uma cirurgia de restauração capilar, desde que se tenha área doadora suficiente para tal. O tratamento clínico pode ajudar na manutenção da quantidade de fios, mas não recupera os perdidos. Já a cirurgia de transplante capilar  restaura os fios e faz aumentar consideravelmente a quantidade de cabelos, sem perder a naturalidade dos fios, que caem e crescem normalmente.

Como é o pré-operatório do transplante?

Após a avaliação das áreas doadora e receptora, o paciente recebe orientações para preparar a primeira região, como massagens no couro cabeludo para aumentar a elasticidade e tonalização dos fios para melhor visualização das unidades foliculares em microscópio. O couro cabeludo também é preparado por meio de medicamentos tópicos que controlam a queda e a oleosidade dos fios.

Como é realizada a operação?

O paciente recebe a anestesia local e então é realizada a retirada da área doadora nas regiões posterior ou occipital. Essa "faixa" de cabelo é manuseada por uma equipe que a divide em "fatias" cada vez menores em microscópicos, enquanto a sutura da parte posterior é realizada. Em seguida, o paciente é virado para que se inicie a etapa da colocação dos fios nas áreas calvas ou de menor densidade. Trata- se de um processo artístico e meticuloso, uma vez que as unidades foliculares são colocadas uma a uma, minuciosamente. A cirurgia dura em média de seis a oito horas.

O paciente sente dor pós-operatório?

O desconforto pós-operatório é controlado com a utilização de analgésicos comuns nas primeiras horas após a cirurgia. A grande maioria dos pacientes relata que o processo é confortável durante e depois do transplante.

O que o paciente precisa fazer depois da operação?

Limpeza diária, nas três primeiras semanas, sob orientação médica, já que não são utilizados curativos ou bandagens após a cirurgia. O couro cabeludo  na área receptora demora, em média, sete dias para cicatrizar.

Quais os riscos do transplante?

Por se tratar de uma cirurgia simples, com anestesia local e leve sedação, o risco cirúrgico é baixo. A peculiaridade dessa cirurgia consiste em sua dificuldade técnica, em seu caráter artístico, que busca a naturalidade do desenho da linha anterior e a colocação do maior número possível de fios.

veja também