Fragrância masculina traz um resultado padrão, mas com personalidade

Fragrância masculina traz um resultado padrão, mas com personalidade

Atualizado: Quarta-feira, 29 Junho de 2011 as 9:52

Os perfumes masculinos repetitivos e monótonos, assim como a morte e os impostos, são inevitáveis. E às vezes, dependendo do cheiro que eles têm, você prefere a morte.

Os homens deveriam usar grandes perfumes direcionados para o mercado feminino, mas que são, na verdade, simplesmente ótimos, como   Samsara , de Guerlain, que pode ser um masculino extraordinário. Mas frequentemente as   maisons   criam perfumes que são realmente bons, e os direcionam, através do marketing, para os homens ao invés de para as mulheres.

Uma maneira de fazer isso é através de uma abordagem direta: você simplesmente cria um masculino tradicional, só que bom. Ao contrário das evidências de todas as essências masculinas do Kenneth Cole, isto é possível de fazer, mesmo que não seja nada fácil.

O perfumista Rodrigo Flores-Roux conseguiu o feito com o lançamento do primeiro perfume lançado por John Varvatos, em 2004. Para aqueles fãs do tal perfume, padrão, feito pela cartilha - grupo em que, abertamente, não me encontro - o perfumista demonstra aqui que isso pode ser feito com leveza, aparando arestas, e pode transcender o gênero.

Os masculinos padrão são feitos segundo a seguinte fórmula: coloque um pouco de madeira para deixá-lo mais confiante, acrescente um pouco de fumaça e/ou couro para que ele se sinta bacana (mais, se for um homem americano ou europeu, um pouco de alcatrão, para que ele pense em, respectivamente, um Chevrolet Camaro 1978 ou no cigarro obsceno que ele costumava fumar para impressionar as garotas), embrulhe tudo com o cítrico da lima e do limão para trazer a memória do "papai fazendo a barba" e por cima de tudo polvilhe uma mistura de especiarias para machões. Pronto.

Esses tipos de máquina geralmente têm a sutileza de uma granada de mão. Rodrigo Flores-Roux construiu uma dessas, mas depois inovou e amenizou a sensação. Particularmente sua intensidade é mais sutil, além de o motor ser mais macio e as linhas mais suaves.

Sem querer testei esta fragrância uma noite enquanto andava de carro por uma rua de Dallas, à meia-noite. O motorista, um amigo, estende o braço. "O que é isso?" Eu me aproximo, passo três segundos cheirando. Recosto e digo "John Varvatos ". Ele olhou assombrado ("Como adivinhou?"), mas o mérito vai realmente para o perfume. Não é algo que eu usaria, mas ele tem personalidade. É um resultado padrão, mas em um patamar um pouco mais elevado. E neste caso funciona.

John Varvatos

John Varvatos

www.johnvarvatos.com    

veja também