Grávidas e seus cabelos

Grávidas e seus cabelos

Atualizado: Segunda-feira, 15 Agosto de 2011 as 8:15

Novos tratamentos são descobertos a cada dia, mas algumas dúvidas sobre o que as grávidas podem ou não fazer nos cabelos são as mesmas da época de nossas avós. A tintura está proibida por que entra em contato com o feto? A gestação aumenta o problema de queda? Essas são duas das perguntas mais comuns. Para respondê-las, convocamos a dermatologista Gisele Barbosa, da Faculdade de Medicina da USP. A especialista aproveita e desvenda outros seis mitos sobre o tema. 

Gestação deixa os cabelos mais bonitos

Sim, verdade. “O corpo da mulher sofre várias transformações devido às alterações hormonais e é esperado que durante a gestação ocorra um crescimento mais intenso dos fios. A fase de crescimento (anágena) será mais prolongada e de queda (telógena) diminui. Assim, a gestante terá um cabelo mais farto e mais bonito”, afirma Gisele.

Após o parto, o cabelo sofre mais com queda

Sim, verdade. “Após o parto, há uma alteração brusca hormonal e, portanto, sem o estímulo que existia anteriormente, os fios entram rápida e intensamente na fase telógena, isto é, de queda”, explica Gisele. Geralmente, isso pode acontecer até seis meses após o parto. “Mas se a gestante já tem antecedentes pessoais de calvície, esse período de queda pode se prolongar por muito mais tempo”, completa a médica.

Os fios nunca mais voltam a ser os mesmos

Mito. “Os fios voltarão a crescer em seguida, após esses meses de queda. Serão mais finos no início, mas depois voltam ao normal, mesmo sem tratamento”, afirma Gisele.

Tintura não deve ser usada por grávidas

Verdade. “Trata-se de um assunto muito controverso, que gera discussões entre dermatologistas e obstetras. Mas em uma coisa todos concordam e é o que eu digo para minhas pacientes: na dúvida, é melhor a certeza. Se não usar, não correrá risco”, pontua Gisele.

No primeiro trimestre, a gestante não pode mexer na cor do cabelo

Verdade. “No primeiro trimestre de gestação, o bebê está formando as estruturas mais importantes do corpo e, portanto, estará mais suscetível. Assim, nesses primeiros três meses de gravidez, qualquer tipo de clareamento, tintura (principalmente as mais antigas) ou reflexo estão fora de cogitação. A razão é que o couro cabeludo por ser muito vascularizado pode absorver muitas substâncias como os metais pesados (chumbo), amônia, benzeno, formol. Uma vez na corrente sanguínea da mãe, pode chegar até o bebê”.

Luzes e reflexos estão liberados para as grávidas

Depende. “Por serem menos arriscados, alguns dermatologistas liberam essas técnicas após esses três ou quatro primeiros meses (período em que as chances de más-formações diminuem). Mas, além de precisar da liberação do médico, eles devem ser realizados longe da raiz e com o couro cabeludo com aquela touca furadinha, protegendo contra o contato direto com os produtos químicos”.

A henna pode ser usada sem problemas pelas grávidas

Mito. “Mesmo considerada natural, a henna pode conter outras substâncias nocivas. Por isso, ela pode causar dermatites de contato no couro cabeludo”.

Tratamentos com formol são proibidos

Verdade. “Há um consenso entre os dermatologistas e os obstetras que as escovas progressivas e os alisamentos, ou mesmo os relaxamentos e hidratações que contenham formol (mesmo que teoricamente dentro da porcentagem permitida pela ANVISA) são realmente proibidos para grávidas”, finaliza Gisele.

veja também