Hidratação, reconstrução ou cauterização?

Hidratação, reconstrução ou cauterização?

Atualizado: Quarta-feira, 31 Outubro de 2012 as 1:06

 

Você está com o cabelo danificado pelo sol, mar, cloro, tintura, e você está pensando em cortá-lo?  Pare! Vamos ver três procedimentos que podem fazer a diferença no tratamento do seu cabelo.

Hidratação

Devolve a umidade perdida por conta de agentes externos, como sol, poeira, sal do mar e vento. Age na parte externa da fibra capilar e proporciona mais brilho, movimento e maciez aos fios. Hidratação é uma técnica indispensável, não importa se o seu cabelo tem química ou não. O tratamento, entretanto, não é o suficiente para danos severos, pois não consegue atuar na estrutura do cabelo.

Aplicação: O segredo está na massagem feita com o produto. Depois de lavar com xampu anti resíduos, divida o cabelo em pequenas mechas e aplique o creme hidratante a partir do comprimento em direção as pontas. Deslize a mão pelas madeixas várias vezes, aumente a velocidade, isso vai aquecer levemente o produto e potencializar os efeitos.

Dica: Se a ideia é hidratar em casa, cuidado na hora de escolher o produto, nem sempre o mais “pesado” hidrata melhor.

Cauterização

Age em uma área mais profunda que a hidratação. O processo recupera cabelos extremamente secos, quebradiços, tingidos ou que sofreram processos químicos como permanentes, relaxamentos e escovas progressivas.

O diferencial da cauterização é o uso do calor para selas as cutículas dos fios. O diferencial da cauterização é o uso do calor para selar as cutículas dos fios. “O produto de hidratação penetra no córtex antes das escamas do cabelo. Depois é aplicada uma prancha a vapor que fecha os fios e não deixa o produto sair”, explica Jamayca. “Existe cauterização a frio, mas pessoalmente acho que só funciona quando o processo químico é aliado à prancha”, completa.

Os produtos usados no tratamento repõem queratina, vitaminas e proteínas perdidas. O procedimento não deve ser adotado com muita frequência, o ideal é que seja repetido a cada 30 dias.

Dica: Por ser um procedimento complexo é preciso tomar alguns cuidados para que a cauterização não provoque um efeito contrário. O uso excessivo da queratina poderá enrijecer muito a fibra e causar mais quebra. A temperatura do secador ou chapinha não pode ser muito elevada para não comprometer a integridade da estrutura dos fios.

 

Reconstrução

O mais intenso dos três procedimentos, é indicado para a estrutura capilar danificada de forma mais severa. A reconstrução repõe nutrientes e restaura a fibra capilar além de hidratar. Um profissional saberá diagnosticar se esse é o caso para os seus fios.

O processo é semelhante ao da cauterização, mas tem mais queratina. Depois de agir por cerca de quinze minutos e ser aplicada a prancha, os produtos são retirados com um enxágue e é feita uma escova para secar e selar o cabelo.

Dica: Se realizado com muita frequência, ou com enxágue inadequado, os produtos podem acumular nos fios e deixá-los com aspecto pesado.

 

 

Com informações de IG

veja também