Livre-se dos pelos encravados; dicas

Livre-se dos pelos encravados; dicas

Atualizado: Quinta-feira, 8 Dezembro de 2011 as 10:28

Verão e pelos encravados definitivamente não combinam. É que não é nada agradável colocar o biquini e ficar com aquelas marquinhas à mostra. Isso sem contar que, quando inflamadas, incomodam bastante. Por isso, nós vamos ensinar dicas de como evitar o problema e, se preciso, solucioná-lo.

De acordo com Alexandre Y. Okubo, dermatologista da clínica Prime, algumas pessoas têm mais tendência a ter pelos encravados do que outras. Isto por conta da determinação genética. "Algumas pessoas têm tendência de encurvar os pelos, ou seja, ele não chega a sair pelo poro e entra novamente para a pele causando inflamação", diz.

Outras causas bastante comuns são quando ocorrem obstruções dos poros por onde saem os pelos, que podem acontecer por conta de células mortas recobrindo a saída, inflamação causada por depilação ou ainda atrito por roupas justas.

Para evitar o problema, o ideal é fazer depilação a laser. Com o tratamento, há redução importante dos pelos e diminuição da tendência de encravá-los. Mas para quem não tem condições para financiar o procedimento, que não costuma ser dos mais baratos, a dica evitar roupas justas que promovam muito atrito, principalmente calças jeans muito coladas ou blusinhas muito agarradas, já que axilas e virilha são as regiões do corpo em que mais se encravam pelos. Uma boa alternativa também é usar roupas de tecido sintético, conforme recomenda o deramatologista Fernando S. de Macedo.

Outra coisa simples que pode ser feita é esfoliar o corpo alguns dias antes de fazer depilação para desobstruir os poros. "A dica é massagear o corpo inteiro no banho com um punhado de fubá ou açúcar mascavo", diz Okubo. A dermatologista Patrícia Rittes diz que a esfoliação pode ser feita também com 2 colheres de aveia para uma de mel e aplicada antes do banho. Mas atenção: a esfoliação não pode ser feita se a pele estiver inflamada.

Para a escolha do tipo de depilação não há uma regra. "É necessário que se avalie o método que traumatiza menos o pelo em cada paciente", diz o dermatologista Fernando S. Macedo. Para isso, os métodos a serem utilizados podem ser através do uso da cera (geralmente pouco recomendado por ser o mais agressivo), de aparelhos que tracionam o pelo, cremes depilatórios ou raspagem com lâmina, que deve ser feita no sentido do crescimento dos pelos.

Em casos de pelos encravados inflamados, não é recomendado que a pessoa cutuque ou esprema. "Se for um quadro leve, as loções ou géis pós depilação por conterem substâncias calmantes anti-inflamatórias resolvem o problema. Em casos mais inflamados, o ideal é consultar um dermatologista para uso de medicamentos mais fortes contendo antibióticos", orienta Okubo. Patrícia Rittes também indica banho de chuverinho de água morna na região. "A água do chuverinho bate na inflamação, drena e alivia".

Para aquelas que ficaram com cicatrizes e manchas por conta da inflamação, o jeito é recorrer a tratamentos com ácidos clareadores ou até peelings, mas é o dermatologista que deve indicar qual a melhor solução.

veja também