Luzes, mechas ou reflexo?

Luzes, mechas ou reflexo?

Atualizado: Segunda-feira, 19 Setembro de 2011 as 11:22

Dez em cada dez mulheres já pintaram os cabelos alguma vez na vida ou, pelo menos, pretendem pintar um dia. Tudo para dar aquela mudada básica no visual. O problema é na hora de decidir o que fazer. Será melhor fazer luzes ou reflexo? Ah, mas também dá para fazer mechas...E agora? Muitas se encontram nessa situação na hora de mudar o look. Por isso, nós vamos ajudar a esclarecer as dúvidas sobre esses métodos de clareamento.

Tudo vai depender do objetivo de cada uma e a dica é começar a mudança aos poucos para se acostumar com a ideia. "O ideal é ir com calma, porque a pessoa pode não gostar do efeito e aí fica mais difícil de reverter o quadro. É importante também que a pessoa não decida mudar radicalmente por conta de alguma influência externa, como TPM, briga com namorado", diz o cabeleireiro Didiêr Sé, do Salão Marcos Proença.

Mas vamos às diferenças dos métodos. Para quem quer que o clareamento seja claramente percebido, o ideal é fazer mechas, que ficam mais marcadas, mais definidas e destacam-se mais da cor natural dos fios. Já o reflexo tem um efeito mais misturado, dá ideia de "reflexo natural do sol". As luzes, como o nome já diz, dão ideia de luz mesmo, iluminando a parte superior do cabelo, como se fossem feixes de luz. Tem também a balayage, que funciona como um reflexo ao contrário e é feita mais nos homens. São mechas mais escuras em cabelos muito claros.

Ok, definido o efeito que se deseja obter, vamos às cores. O especialista indica para as pessoas que tem pele mais morena, mechas não tão brancas e mais próximas do natural para não contrastar tanto, como tons mais acobreados, mais quentes. "Já quem tem pele mais clara, tudo vai depender da tonalidade natural do cabelo. Para aquelas que tem cabelo acinzentado, por exemplo, o ideal são tons platinados", explica.

Mas como tudo sempre tem um lado ruim, o chato dessa história toda é que os cabelos acabam ficando um pouco danificados por conta do clareamento. "O que prejudica mais são aqueles tons que fogem do natural. Independente do processo, quanto mais distante do natural, mais sensibilizado o cabelo pode ficar", diz Didiêr.

Isso não significa que você precisa desistir da sua ideia de pintar seus cabelos. Batsa cuidar, tratar os fio que está tudo certo. Didiêr indica produtos que contenham óleos essenciais para tratar cabelos secos, cremes ou produtos com queratina para cabelos sensibilizados e reconstrução pelo menos uma vez por mês.

veja também