Malhar em jejum ajuda a emagrecer mais, mostra estudo

Malhar em jejum ajuda a emagrecer mais, mostra estudo

Atualizado: Segunda-feira, 20 Dezembro de 2010 as 10:13

O excesso de calorias ingerido nesta época do ano pode ser contornado com uma simples medida: malhar em jejum. É o que afirmam médicos da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, que analisaram a rotina de um grupo de homens saudáveis. Segundo eles, o exercício antes do café da manhã queima mais glicose (o açúcar no sangue) e gordura e, por isso, é mais eficaz na redução da resistência à insulina, quadro que facilita o aumento de peso.

A pesquisa belga partiu de um estudo feito na Austrália, que mostra que bastam apenas três dias de comilança para os níveis de glicose aumentarem. Com isso em mente, os pesquisadores procuraram entender qual seria a melhor forma de exercício para combater esses efeitos e chegaram à conclusão que malhar de manhã, antes de comer, é a melhor opção.

O estudo na Bélgica foi feito com 28 homens saudáveis e ativos, que passaram a comer cerca de 30% a mais do que comiam normalmente. Os participantes também dobraram a quantidade de gordura ingerida em pelo menos três dias, o equivalente aos dias de festa.

Um terço do grupo não fez exercícios. O resto foi divido em dois grupos. Um tinha que malhar pela manhã antes de comer e o outro só podia se exercitar após um café da manhã rico em carboidratos. Nos dois grupos de malhadores, todos tinham que seguir a mesma rotina: correr ou pedalar quatro vezes por semana, duas vezes por 90 minutos e duas vezes por uma hora. Os exercícios foram supervisionados pelos pesquisadores para garantir que o gasto energético era o mesmo.

A experiência durou seis semanas. No grupo dos sedentários, todos os participantes engordaram, em média, três quilos. Eles também desenvolveram uma resistência à insulina e acumularam mais gordura na região abdominal. Os participantes que malharam após o café da manhã ganharam, em média, 1,5 kg. A maioria também registrou níveis mais altos de açúcar no sangue. Apenas o grupo que malhou em jejum não engordou nem mostrou os sinais de resistência à insulina.

Os pesquisadores, no entanto, não souberam explicar os resultados. Para eles, algumas teorias podem justificar porque os malhadores em jejum se beneficiaram mais. Um dos motivos é que malhar de barriga vazia estimula o metabolismo a queimar mais gordura, levando a um emagrecimento maior.

Outra explicação seria a de que o aumento de uma proteína muscular - que acontece apenas quando gastamos muita energia em jejum - aceleraria o transporte de glicose, eliminando-a do organismo e regulando a sensibilidade à insulina.

Cuidados

Porém, o exercício em jejum não é indicado para todos. Ele costuma ser contraindicado pelos médicos porque pode provocar fraqueza, tonteira e enjoo.

A médica australiana Leoni Heilbronn, da Universidade de Adelaide e uma das responsáveis pelo estudo sobre o efeito da comilança natalina no corpo, afirma que qualquer forma de exercício é válida, de barriga cheia ou vazia.

- Sair do sedentarismo, mesmo que apenas para caminhar em um ritmo moderado, já faz uma diferença para a saúde - disse a médica ao jornal 'New York Times'.

Mas quem quiser colocar o despertador para tocar bem cedo no dia 26 de dezembro provavelmente não terá nada a perder.

- Se você não quer acumular aqueles quilinhos extras, não custa nada tentar.

veja também