Mantenha o volume do rosto como jovem sem cirurgia plástica

Mantenha o volume do rosto como jovem sem cirurgia plástica

Atualizado: Sexta-feira, 2 Julho de 2010 as 8:18

No processo de envelhecimento, a perda de volume no rosto confere aspecto cansado. Engana-se quem pensa que a única forma de reverter a situação é apostar em cirurgias plásticas. Procedimentos simples podem colaborar temporariamente. Confira oito coisas detalhes sobre o assunto, listados pelo dermatologista Carlos Roberto Antonio, conselheiro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD):

1) A inversão nas linhas de equilíbrio resulta em perda de volume em toda a face. O incômodo é mais acentuado nas bochechas e na região do queixo;

2) O remodelamento facial com preenchedor temporário (absorvível) pode ser feito em qualquer idade. No entanto, a perda mais visível de volume ocorre entre os 40 e 60 anos;

3) Os preenchimentos temporários são mais seguros que os feitos com substâncias não-absorvíveis. Podem ser realizados várias vezes no mesmo local e têm baixo índice de complicações a curto ou longo prazo.

4) Se houver flacidez no rosto, deve ser tratada e, só depois, o preenchimento é indicado;

5) O ácido hialurônico é o preenchedor temporário mais utilizado, com aplicação indicada quando se deseja um resultado rápido e visível. É mais vantajoso em relação às outras substâncias absorvíveis nos quesitos segurança e aspecto natural;

6) Outra alternativa para driblar a perda de volume é o ácido poli-l-láctico para rostos finos e flácidos, que pede duas a três sessões e não tem como objetivo preencher e, sim, estimular o colágeno e gerar um aspecto de preenchimento;

7) Já a hidroxiapatita de cálcio é a opção para pacientes que desejam um efeito imediato e mais duradouro. A hidroxiapatita de cálcio vem ganhando espaço, porém tem menos estudos que o ácido hialurônico e poli-l-láctico;

8) O ideal é realizar a remodelagem facial uma vez por ano, porque seu resultado dura, em média, entre 12 e 16 meses. A manutenção deve ser indicada pelo dermatologista, com base na necessidade de cada paciente;

9) Após o tratamento, o cuidado deve ser apenas com a higiene local para não contaminar a aplicação. Pessoas com histórico de herpes labial devem ser tratadas com medicamento oral para prevenir a doença;

10) Pode-se lançar mão de outros tratamentos estéticos simultaneamente ao preenchimento. Entre eles estão laser, luz intensa pulsada, radiofrequência, infravermelho e toxina botulínica.

veja também