Massagem com bambu

Massagem com bambu

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 1:08

A utilização de plantas em tratamentos de beleza está se tornando cada dia mais comum. Os cosméticos foram os primeiros a aderir a esses recursos. Banhos temáticos com flores foi outra proposta que também virou moda. Agora, a novidade em procedimentos de estética nasceu na França e é conhecido como bambuterapia.

Durante as sessões, as varas de bambu são utilizadas para massagear o corpo. Como são parecidos com rolos ou varetas que se adaptam aos contornos corporais, os bambus estimulam as glândulas, proporcionando um efeito drenante e redutor de gordura localizada. Além disso, auxilia a diminuição da celulite ao tornar a pele flexível e promove uma drenagem linfática.

"A massagem pode ajudar na remodelagem corporal a partir de manobras mais vigorosas, que aumentam a circulação da região a ser tratada. A técnica associada ao uso de cremes, leva à diminuição da gordura", comenta a fisioterapeuta Renata Segateli, especialista em dermatofuncional.

Para perceber as primeiras mudanças no corpo são necessárias cinco sessões, mas os profissionais indicam dez para que a transformação seja mais eficaz. A massagem deve durar aproximadamente 40 minutos e os preços variam entre 80 e 100 reais.

Para a diretora da clínica Movinghands, Raquel Szymonowicz, a bambuterapia tem uma vantagem em relação aos outros processos de drenagem. "O tratamento com bambu tem uma pressão um pouco maior e a manobra das varas é sempre no sentido linfático e mais intensa".

A massagem com bambu apresenta as mesmas contraindicações da massagem modeladora, relaxante e da drenagem linfática. Deve ser evitada por pessoas comcâncer, trombose e diabetes, por exemplo. Antes de iniciar o tratamento é necessário fazer uma avaliação (ficha de anamnese) com um esteticista profissional ou fisioterapeuta especializado.

Como se trata de uma técnica nova é importante atentar para a qualificação do profissional, que precisa ter curso específico para aplicar a massagem.

veja também