Microagulhamento, a técnica que vai te ajudar a diminuir estrias

A técnica que vai te ajudar a diminuir estrias

Atualizado: Quinta-feira, 22 Março de 2012 as 1:45

A luta contra as estrias, que assolam grande parte das mulheres, até bem pouco tempo atrás parecia perdida. No entanto, a batalha vem somando novos aliados nos últimos anos e, atualmente, parece estar quase ganha graças à técnica de microagulhamento recém-aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). 

De simples execução, o procedimento pode ser realizado em diferentes tons de pele. "Os microfuros causados pelas agulhas do aparelho auxiliam na produção de colágeno e elastina (proteínas responsáveis pela firmeza e estrutura da pele) nas zonas tratadas e potencializam a absorção de cremes e medicamentos", informa Luciana Macedo de Oliveira, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e da Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento. 

O novo tratamento promete amenizar até 80% das marcas indesejáveis que insistem em aparecer, principalmente, nas pernas, bumbum, barriga e seios de quase toda mulher. Para isso, utiliza dezenas de microagulhas com até dois milímetros de comprimento, acopladas em rolinhos que deslizam na área da pele a ser tratada. 

Bastante utilizado para atenuar as manchas e rugas finas da face, o microagulhamento é ainda mais eficaz quando as pequenas agulhas são associadas à radiofrequência e às aplicações de vitamina C e silício (elemento presente no organismo que tem ação regeneradora da pele). 

Sem dor

Apesar de o nome assustar quem teme as agulhas, o procedimento não costuma causar dor, já que antes de iniciar o procedimento é aplicado um creme anestésico local. Logo após o tratamento, a pele apresenta vermelhidão, que costuma melhorar entre 24 e 48 horas. Geralmente, são realizadas de três a sete sessões com intervalos de um a dois meses. 

"Este tratamento é uma novidade com resultados semelhantes aos obtidos com a técnica a laser, mas com uma recuperação mais rápida. Além disso, é possível perceber os resultados logo nas primeiras sessões", comenta Cristina Menin Rossetto, fisioterapeuta dermato funcional do Centro Estético CK de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. 

Restrições

Como todo procedimento estético disponível no mercado, o microagulhamento também possui restrições sobre quem pode realizar o método. "O tratamento não deve ser feito em áreas do corpo com infecções e em pacientes com tendência à formação de quelóide", alerta Luciana. Mulheres grávidas também devem ficar longe das microagulhas. "Mas logo depois do parto, o tratamento já pode ser realizado e a recuperação é praticamente instantânea", informa. 

veja também