Moda para crianças se inspira em roupas de gente grande

Moda para crianças se inspira em roupas de gente grande

Atualizado: Segunda-feira, 5 Julho de 2010 as 9:23

Saias de cintura alta, transparências, tops tomara que caia com bojo e camisas sociais. Parecem itens que dominam as vitrines das lojas para homens e mulheres, certo? Pois estas eram algumas peças expostas pelos lojistas na última edição da FIT, uma feira de moda infanto-juvenil que aconteceu em São Paulo há duas semanas.

A ideia de vestir crianças com roupas de adulto não é tão nova, mas tem ganhado cada vez mais marcas adeptas. Hoje em dia, é bastante comum encontrar nas vitrines infantis trajes muito parecidos com os de adulto, apenas em numeração menor.

Para a psicóloga Daniela Levy, vestir uma criança como gente grande pode trazer consequências sérias.

- Muitas vezes isso desencadeia uma ansiedade e pode até se transformar em depressão. O uso de roupas que se parecem com a dos adultos e hábitos como fazer a unha e cuidar do cabelo empurram a criança para uma faixa etária à qual ela ainda não pertence.

Segundo Daniela, em geral são os pais que, mesmo indiretamente, incentivam o uso de roupas com estética mais madura.

- É a mãe quem compra as roupas e que veste a criança. Então cabe a ela impor limites.

Ademar Antonio Rosalem, dono da grife carioca Yo’boy Snipe, concorda que são as mães as responsáveis pelo sucesso da moda infantil com cara de adulta. A loja que ele comanda vende camisas sociais para crianças a partir de seis meses de idade.

- É a mãe que quer deixar o menino parecido com o pai. As crianças gostam, mas quando chegam perto do dez anos já não querem saber de bordados ou estampas diversas... nessa fase elas começam a desejar roupas de marca.

Fabiana Dias, da marca B.Lieve, de Belo Horizonte, discorda, e diz acreditar que as crianças ainda preferem roupas com temas e estampas infantis.

- Elas não querem roupas com cara de adulto; querem trajes que têm a cara da sua idade.

Apesar disso, o estande que a marca levou para a FIT trazia coletes de paetês e roupas com tendências militares e rock para meninos e meninas a partir de quatro anos.

Para a psicóloga, cabe aos pais regular os hábitos e atividades das crianças de acordo com a idade.

- A sociedade já influencia a criança para que ela seja adulta antes da hora. Às vezes ela começa a fazer atividades às quais ainda não está preparada, portanto os pais precisam ficar atentos ao desenvolvimento dos filhos.

Por: Sara Uhelski

veja também