Modelos GG dão dicas de moda

Modelos GG dão dicas de moda

Atualizado: Sexta-feira, 5 Março de 2010 as 12

Elas passaram um tempão da vida ouvindo que gordinha não pode usar listrado, que preto emagrece e que o melhor é vestir roupas bem largas para esconder o corpo. Daí, se tornaram modelos e descobriram que nada disso precisa ser uma paranoia.

As modelos de tamanhos grandes Jovianny Sierascky, Andrea Delgado e Alessandra Lider aprenderam a escolher suas roupas depois de anos desfilando. O R7 conversou com o trio nos bastidores dos desfiles do Mega Polo Moda Coleções e elas deram dicas de como as gordinhas podem se vestir bem sem ficarem presas a nenhuma regra.

Andrea diz que gosta muito de usar estampas, inclusive listras.

- Falam que gordinha não pode usar, mas não tem nada a ver. Gosto de estampa e de bastante cor. Eu só não uso listras muito miúdas, é bom ser mais larga.

As três modelos afirmam que o melhor jeito de as gordinhas valorizarem a silhueta é marcando a cintura. Nada daquelas peças esvoaçantes com jeitão de senhora.

A estilista Eveline Albuquerque concorda. Ela é responsável pela loja para gordinhas Eveíza e diz que procura incorporar tendências pensadas para as mulheres magras. Leggings, coletes e vestidos estampados estão na coleção atual.

- Acho que a gordinha pode usar qualquer tendência. Só procuro adaptar algumas coisas.

O ajuste inclui deixar as alças dos vestidos largas para um sutiã mais forte, fazer os jeans com cintura alta e usar mangas que não sejam muito apertadas.

Um bom desenho para uma blusa é aquele comprido, mais soltinho na barriga e ajustado na cintura. Para a modelo Jovianny, é importante também valorizar os seios. Ela diz que prefere roupas com decote em "V". Isso não quer dizer que o decote precisa ser profundo ou vulgar. Mesmo sem revelar nada, ele já chama atenção para essa área do corpo e ainda alonga o colo.

Estilista e modelos concordam que há apenas um pecado mortal que uma gordinha pode cometer para se vestir: usar roupas justas demais. O ideal mesmo é assumir o manequim certo, que é garantia de mais conforto, como conta Eveline.

- Tenho clientes que vêm me agradecer porque tinham festas para ir e nunca conseguiam uma roupa em que se sentissem bem, bonitas. Essa é a diferença.

A roupa certa termina até melhorando a autoestima, diz Alessandra.

- Eu passei a me curtir muito mais depois que me tornei modelo e entendi o meu corpo. É uma injeção de ânimo.

Colaborou Dayanne Sousa

veja também