Nooka by Nooka é um dos amadeirados mais deliciosos e complexo

Nooka by Nooka é um dos amadeirados mais deliciosos e complexo

Atualizado: Sexta-feira, 8 Julho de 2011 as 9:45

Isto sim é uma surpresa.

Matthew Waldman é um artista e designer de Nova York que começou sua carreira como diretor de arte de comunicações corporativas em uma empresa de Tóquio, onde, lógico, ele absorveu muitas ideias japonesas sobre design. Depois de voltar para Nova York, Waldman fundou a empresa de design Berrymatch, que oferece “consultoria em design interdisciplinar” (seja lá o que isso quer dizer).

Segundo consta, enquanto olhava o relógio em um hotel de Londres, Waldman começou a se lembrar da escola, onde ele aprendeu a ler as horas. Pareceu para ele que as interfaces de relógios desde então deixaram de ser intuitivas. Ele começou a esboçar o design de relógios de pulso para que ficassem mais intuitivos, universais, e acabou patenteando suas criações. A Seiko produziu alguns deles até 2005, ano em que Waldman fundou uma empresa chamada Nooka Inc. e lançou, ele mesmo, seus relógios de pulso.

“Intuitivo” pode ser um conceito. Os relógios da Nooka parecem que saíram de uma exposição no Museu de Artes e Design de Nova York. Pode-se imaginá-los sendo usados em mangás de ficção científica: o metal, o vidro e as fibras não poderiam estar mais distantes do mundo natural.

Quando criança, Waldman era alérgico e asmático, hipersensível a cheiros. Em 2001 ele foi atropelado, jogado a 10 metros de distância e então aterrissou em um para-brisa e em seguida no asfalto. Quando a concussão finalmente sumiu, ela levou junto a sensibilidade por fragrâncias de Waltman. “Logo”, explica o release enviado para a imprensa, “a ideia do perfume Nooka nasceu”.

Mas nada disso prepara alguém para o resultado olfativo. Nooka é um dos amadeirados mais deliciosos, perfeitamente complexos e usáveis do mercado. Sob a direção criativa de Waldman - além de sua insistente exigência por um perfume unissex -, Pierre-Constantin Gueros produziu um oásis de calma arborizada.

A fórmula bem enxuta de Gueros (somente 23 componentes, enquanto alguns usam centenas, às vezes milhares de ingredientes) começa com um conceito olfativo fascinante: o cheiro de papel. Ele conta: “Eu quis fazer uma coisa linear – você sente a madeira na hora, claro, com um acorde de abertura que traz limão, condimentos e yuzu japonês – mas também queria uma certa crueza das matérias-primas em seu estado natural”.

Isso quis dizer patchuli, cedros naturais e sintéticos juntos com o verde orgânico do vetiver – e uma molécula que, no mercado, se chama Cashmeran, uma pequena bomba de madeira e condimentos com um estranho e aveludado reforço de flores e frutas. A essência de pimenta negra passa a impressão de um grande vazio e lhe confere um efeito tridimensional. Sob o papel e a madeira, Gueros acrescentou couro. O efeito pareceu altamente orgânico – ancorado com pontos de referência naturais.

Surpreendentemente, o perfume Nooka não faz nenhuma referência aos relógios da empresa. As pequenas máquinas desconstruídas e pós-modernas vêm de materiais criados pelo homem e processados em máquinas, e são completamente inorgânicos. Mas o perfume Nooka, se pararmos para pensar, personifica exatamente a empresa Nooka. Sua fragrância é uma máquina precisa: liso e lustroso como vidro, profundo como o tempo, surpreendente em sua funcionalidade e, no final das contas, cativante.

*O crítico de perfumes é autor de "O Imperador do Olfato: Uma História de Perfume e Obsessão" (Companhia das Letras), de "The Perfect Scent: A Year Inside the Perfume Industry in Paris and New York" e do recém-lançado romance "You or Someone Like You", (ambos sem tradução no Brasil).    

veja também