O que muda no corpo durante e após a gravidez?

O que muda no corpo durante e após a gravidez?

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 11:03

Durante nove meses você vê seu corpo mudar radicalmente. Vive períodos de humor inconstante, cria uma ansiedade que só quem é mãe sabe explicar e, ainda por cima, em nenhum momento deixa de ter a preocupação básica que assombra o mundo feminino: ser bonita e atraente.

Segundo Patrícia Alves Oliveira, da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, absolutamente tudo muda no corpo de uma mulher grávida, desde o fio de cabelo, até a estrutura dentária. "Na verdade, todas as partes do corpo feminino entram em uma mudança simultânea, que não se estabiliza tão cedo. O que mais incomoda as mulheres quanto à questão estética é o aumento de peso. Mas não se pode esquecer que o organismo lentamente vai se alterando para se preparar para a chegada de uma nova vida. A articulação e a estrutura óssea são uns dos aspectos cuja mudança é mais acentuada", diz.

Patrícia ainda afirma que é difícil dizer com precisão quantos quilos a mulher pode engordar durante a gravidez. "Vai depender do tipo físico da mulher, das condições de saúde e, principalmente, do Índice de Massa Corpórea (IMC). Mesmo assim, arriscamos dizer que a média é o ganho de peso em doze quilos".

Confira a tabela abaixo, fornecida pela médica para entender como deve funcionar o aumento de peso no decorrer da gravidez:

Ganho de peso ideal por tempo de gestação:

Até 10 semanas: 650g Até 20 semanas: 4 kg Até 30 semanas: 8,5kg Até 40 semanas: 12,5kg

Essa média é feita através da medição do IMC da mulher antes de engravidar e o conselho dos médicos para quem quer engravidar sem oferecer riscos a sua saúde e a saúde do bebê, além de poder retornar ao peso anterior de forma mais rápida e tranqüila. Confira as médias:

IMC menor que 19 pontos: nesse caso, a gestante pode ganhar de 12 a 18 kg, no máximo. IMC entre 19 e 25 pontos: de 11 a 16kg, no máximo. IMC entre 26 a 29 pontos: de 7 a 11,5kg, no máximo. IMC maior que 30 pontos: nesse caso, o ideal é que o ganho de peso da mulher não ultrapasse os 7kg.

(Calcule seu IMC: seu peso dividido pela sua altura multiplicada duas vezes)

Quer saber o que pesa tanto no corpo da mulher para esse aumento de peso ser tão significativo? Então se liga:

Peso aproximado do feto: 3,4kg da placenta: 650g do líquido amniótico: 800g do útero: 970g das mamas: 405g Peso aproximado gerado pelo inchaço: 1,5kg Peso da reserva (pneus, gorduras acumuladas para a proteção do feto e estoque de armazenamento de nutrientes caso seja necessário ao bebê): 3,5kg

No livro "A grávida", José Júlio de Azevedo Tedesco, professor da Escola Paulista de Medicina, há um capítulo inteiro referindo-se ao uso de cosméticos na gravidez e a importância dos creminhos. Segundo o autor, durante a gravidez, há um aumento da absorção de líquidos por parte da pele, o que atenta para a importância de se ter o hábito de passar cremes hidratantes diariamente nas regiões com maior tendência ao aparecimento de estrias e rachadura do colágeno da pele (abdômen, coxas, bumbum, culote, mamas e parte interna dos braços). Além disso, há um aumento significativo da reserva de água no compartimento extracelular, justamente para dar mais elasticidade à pele e evitar que ela "se rache".

Filho sim, flacidez jamais!

Infelizmente a flacidez faz parte, sim, dos nove meses mais bonitos de uma mulher. Mas a boa notícia é que há como combatê-la, desde que isso seja feito desde a descoberta da gravidez. Muitas mulheres têm aquela ideia: "Não vou ter filho porque não quero que meu corpo estrague. Não quero ficar gorda, com culote, nem quero que meu peito fique caído. Tenho medo de ficar feia". Se você se encaixa nesse pensamento, por favor, mude de idéia! Isso sim é que é ter uma idéia primitiva sobre se tornar mãe.

Segundo a especialista Patrícia Oliveira, se a mulher se cuidar desde o início, conseguir manter-se com um peso considerável adequado ao mês de gestação e freqüentemente consultar um médico durante esses nove meses, não há com o que se preocupar. "O ato de ser mãe faz parte da natureza da mulher. Não quer dizer que, após engravidar, você passará a se tornar um outro tipo de pessoa, antes linda e agora horrível. Muito pelo contrário, as mulheres ficam até mais bonitas após darem à luz", afirma Patrícia.

Para facilitar a vida das gestantes e das que pretendem ser mães um dia, Patrícia nos deu algumas dicas especiais. Segundo a médica, algo de muito importante no setor de cosméticos ficou evidenciado nos últimos estudos realizados. "Descobriu-se que não há creme milagroso. Não há tanta diferença assim do ´creme x’ para o ‘creme y´, o fator que realmente muda e que ajuda a combater estrias, flacidez e celulite é a forma como passamos esses cremes", conta Patrícia. Ou seja, queridas futuras e aspirantes a mamães: ao passar o creminho, realize massagens circulares exercendo pressão sobre a pele. Se precisar, peça a ajuda de um profissional. As massagens, sim, são milagrosas!

Patrícia também conta que outra reclamação muito ouvida nos escritórios é a respeito do inchaço das pernas e dos pés e, às vezes, ao aparecimento de varizes. "Isso é muito comum na gravidez, principalmente devido à sobrecarga de peso e a dificuldade de circulação causada pelos quilinhos a mais. Para isso a mulher pode realizar sessões de drenagem linfática manual com um profissional bem qualificado", diz a médica. Mas atenção: a sessão de drenagem linfática nas gestantes devem ser feita apenas sobre os gânglios das pernas e dos pés (membros inferiores). Em qualquer outra região, a drenagem linfática em grávidas é contra-indicada. Outra dica para manter sempre pernas bonitas é mantê-las apontadas para cima, de vez em quando, por certos minutos. As meias elásticas também podem ajudar. Se preferir, consulte um ortopedista.

Não se esqueça do seu dentista!

As grávidas têm uma maior predisponibilidade a ganhar cáries. Você sabia? Pois é. " A gestante costuma ter uma considerável alteração no pH bucal, que acaba tornando o ambiente mais suscetível ao surgimento de cárie e inflamações na gengiva, que fica mais sensível nesse período", explica Patrícia.

Mamas: Cuide bem delas e nada lhe faltará (ou cairá)

Aqui vale enumerar as dicas da especialista Patrícia. Siga tudo direitinho e no final da gestação, mesmo após a amamentação, você continuará com lindas mamas.

1- Use suporte mamário durante toda a gestação, mesmo na hora de dormir. Os sutiãs mais indicados são aqueles com bom suporte, confortáveis e com alças grossas. As mulheres que se sentirem incomodadas para dormir com sutiã devem optar por um top mais confortável ou então alguma blusinha mais justa. O que não vale é deixar as mamas soltas.

2- Hidrate a região fazendo movimentos circulares. "Porém, a gestante não deve passar creme nem na auréola do peito e nem no mamilo, por serem mucosas que, eventualmente, são mais sensíveis", alerta a médica.

3- "Experimente tomar banho de sol de 10 a 15 minutos naqueles horários permitidos, ou seja, antes das dez manhã e depois das quatro da tarde. Isso fortalece o mamilo para a amamentação e o impede de apresentar rachaduras mais tarde", sugere Patrícia.

4- Assim que fizer seu primeiro pré-natal, peça para o médico avaliar seus mamilos. Há um posicionamento adequado para a amamentação e, caso seus mamilos não estejam nessa posição, o médico deve lhe passar sessões de exercícios de massagem para já direcioná-los da maneira correta. "Isso deve ser feito já na primeira consulta, quando o médico deve avaliar se as mamas precisam de uma atenção especial", explica a médica.

Não se pode deixar de citar as alterações no aparelho genital e o aparecimento de pêlos por todos os lados. No período da gestação, os órgãos genitais ficam inchados e pigmentados. Além disso, há alteração da acidez vaginal, maior lubrificação e tendência a adquirir infecções, situação agravada pela compressão do útero sobre a bexiga. Converse com sua ginecologista.

A questão dos pelos é puramente hormonal e, não se preocupe, desaparece assim que acaba a gestação. "Os pelos aparecem e podem até engrossar. Isso é muito comum principalmente na região do abdômen e pode atingir qualquer mulher, até mesmo as que têm menor tendência ao desenvolvimento de pêlos. Para isso, não é necessário de desesperar. Se a pessoa não tiver alergia, ela pode depilar e até descolorir, mas somente se obtiver o aval do médico", explica Patrícia.

Enfim, quando o corpo volta ao normal?

Vamos lá. Você já esperou nove meses, não é agora que você vai querer dar uma de apressadinha, não é? Pois bem, dependendo do tipo de parto (normal ou cesaria), a mulher já pode voltar as atividades normais diárias em 15 dias (exceto academia, carregamento de peso, corrida e esportes mais radicais). O ideal é que ela volte para as salas de ginástica no mínimo três meses depois do parto.

Segundo Patrícia Oliveira, o corpo só volta à estaca zero, ou seja, idêntico ao que era antes do parto, em um ano. "Tanto é que os médicos proíbem qualquer intervenção cirúrgica durante esse período", explica. E nada de pressa para emagrecer. Respeite os seus limites e não invente dietas. Consulte um nutricionista, se for o caso. "Se tudo der certo, a mulher consegue perder o peso adquirido com a gravidez de maneira saudável em três ou quatro meses. Só para se ter noção, em 40 dias nem o útero voltou ao normal", esclarece Patrícia.

veja também