O uso constante de salto alto

O uso constante de salto alto

Atualizado: Quinta-feira, 18 Agosto de 2011 as 1:57

  Pesquisas comprovam que o salto alto causa danos ao alinhamento postural e ao equilíbrio músculo-articular de meninas ainda em fase de crescimento.

Os resultados das pesquisam mostram que o hábito constante (uso de pelo menos três vezes por semana por mais de quatro horas consecutivas durante um ano ) compromete a fase de crescimento ósseo e muscular. Além disso, desencadeia alterações, que, se não tratadas, podem resultar em lombalgias crônicas, dores no quadril que irradiam para outras partes do corpo e limitações de movimentos.

O uso abusivo do salto alto traz prejuízos em qualquer idade, mas na adolescência o hábito provoca danos precoces em uma fase importante: a da formação do corpo.

A pesquisa foi realizada n a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Foram analisadas 50 meninas que não eram usuárias de salto alto e 50 que costumam usá-lo.

Jovens que não dispensam esse tipo de calçado apresentam aumento da lordose lombar (curva acentuada na base da coluna ), aproximação dos joelhos e afastamento dos pés, deixando as pernas em formato de x.

Foi observado que o salto alto eleva o calcanhar e projeta o corpo para a frente, mexendo com o equilíbrio da adolescente.

Para não cair, as usuárias tem de compensar. Os fatores da compensação alteram a postura, desencadeando a hiperlordose lombar e a rotação anterior da bacia, também conhecida como bumbum empinado.

Com o desalinhamento corporal, as articulações e os músculos sofrem grande estresse.

Ao longo do tempo, movimentos desarmônicos e problemas crônicos se impõem, caso não seja feito um tratamento de reabilitação.

LIMITES

Crianças não devem, em hipótese alguma, usar salto, alto ou baixo. Médicos proíbem com todas as letras esta prática.

Os sapatos altos não devem ser usados constantemente por adolescentes porque o corpo ainda está em formação.

Mulheres adultas que não abrem mão do acessório devem limitar o uso a três vezes por semana durante, no máximo, quatro horas.

DICAS PARA COMPRAR

O fim do dia é o melhor período para a compra de sapatos, pois os pés estão inchados, o que ajuda a escolher modelos mais adequados.

Não compre sapatos menores que o seu pé.

O sapato não se ajusta sempre com o uso.

Lembre-se que um pé é sempre maior que o outro, sempre calce o par antes da compra.

Prefira materiais confortáveis.

Modelos de plástico impedem o pé de respirar e podem facilitar a aparecimento de micoses.

O conforto deve ser o fator principal a ser considerado na hora da compra

veja também