Os alimentos que combatem as rugas

Os alimentos que combatem as rugas

Atualizado: Terça-feira, 22 Novembro de 2011 as 10:31

Muita gente não sabe, mas é possível combater rugas apenas tomando cuidado com aquilo que você coloca no prato. Alguns alimentos possuem propriedades específicas capazes de combater o envelhecimento, melhorar a hidratação da pele e até regular o intestino, o que ajuda a melhorar o aspecto da pele como um todo. Por isso, eles são considerados por muitos alimentos indispensáveis em uma dieta antienvelhecimento.  

“Nós somos o que comemos”, afirma a Dra. Tamara Mazaracki, especialista em medicina ortomolecular e nutrologia ao defender a tese de que os alimentos que escolhemos para ingerir se refletem na saúde da pele, cabelos, ossos, músculos, sangue, cérebro e em todo o organismo. “Nosso corpo vai responder de acordo com os nutrientes a ele oferecidos”, diz Tamara.

E quem não gosta de muitas regras na alimentação pode ficar tranquila, já que uma dieta adequada, rica em nutrientes que ajudam a sintetizar fibras de colágeno e elastina para sustentar a pele e mantê-la elástica, saudável e bonita, é fácil de ser seguida. No entanto, não adianta manter a rotina por apenas uma semana ou duas, aqui vale o ditado: o hábito faz o monge. Assim, dieta só surtirá efeito se for feita a longo prazo, incluindo nutrientes chave para toda a vida. 

Segundo Tamara, esses nutrientes vão atuar em três frentes: combatendo a flacidez da pele, evitando a desidratação e mantendo o intestino regulado. Juntos, os alimentos que atuam nessas três frentes são capazes de combater o envelhecimento da pele, tão evidenciado pelas temidas rugas e marcas de expressão. 

Para combater a flacidez Para combater a flacidez, proteínas de alto valor biológico, como carne, peixe, frango, ovo e laticínios, são ideais porque ajudam a evitar a perda muscular, além de fornecerem importantes aminoácidos como lisina e prolina, matéria-prima para a formação de fibras colagenicas, e creatina, que influencia diretamente a forma como a pele armazena energia e ajuda a combater o envelhecimento cutâneo e o estresse oxidativo (ação dos radicais livres sobre as estruturas cutâneas).

Peixes de água gelada (salmão, sardinha, a truta, a anchova) ainda são ricos em ácidos graxos e ômegas 3, 6 e 9. Essas gorduras auxiliam na manutenção da barreira epidérmica, que protege o tecido, melhorando sua textura e hidratação. A linhaça, o gergelim, o azeite, as oleaginosas e os ovos também contam com pequenas porções desses ômegas, prevenindo o envelhecimento precoce ao deixar a pele mais resistente.  

No combate à flacidez também se deve incorporar ao cardápio frutas e vegetais em abundância, além de grãos e cereais integrais, que irão ofertar ao organismo importantes vitaminas, como a vitamina C, intrinsecamente envolvida no processo de produção de colágeno, a vitamina E e o betacaroteno, com ação antioxidante e protetora da pele, além de vitaminas do complexo B e ácido fólico, que atuam como cofatores metabolizando gorduras, carboidratos e proteínas.

Hoje, aliás, os antioxidantes (chá verde, chá branco, frutas cítricas e vermelhas, canela e gengibre) somam-se às receitas de muitos alimentos industrializados, pois auxiliam no combate aos radicais livres, que provocam o envelhecimento das células.

A vitamina C pode ser encontrada em alimentos como morango, kiwi, tomate e brócolis. A vitamina E em alimentos como ovos, pepino, couve e ervilha. O betacaroteno está em alimentos como cenoura, abóbora, milho, pimentão, manga, melão vermelho, papaya e pêssego. As vitaminas do complexo B e o ácido fólico estão presentes em folhas verde-escuras (rúcula, agrião) na beterraba, batata e milho. 

Minerais, como zinco (iogurte e frutos do mar), selênio (castanha-do-pará e peixe), cálcio (leite e couve), magnésio (amêndoas e nozes), cromo (arroz e aveia integral) e silício (broto de alfafa e sementes oleaginosas), também ajudam a combater a flacidez e o envelhecimento da pele pela sua ação antioxidante, estrutural e participando de enzimas envolvidas na produção de colágeno.

Para hidratação a pele Não se pode esquecer que uma boa hidratação é fundamental para o funcionamento orgânico e para combater o ressecamento e desidratação cutâneos, então a água entra como um alimento indispensável. Um consumo médio diário de dois litros facilita o trabalho do fígado, rins, coração e intestinos, prevenindo a formação de cálculos renais, a constipação intestinal e o ressecamento da pele. A ingestão insuficiente de água leva a um envelhecimento precoce da cútis, e isto começa a ser notado a partir dos 40 anos. 

Para regular o intestino Outro fator para a saúde da pele é um perfeito funcionamento intestinal, o que ajuda o organismo a se livrar de toxinas e detritos metabólicos. Quando há deficiência de água, lactobacilos (encontrados no iogurte e leite fermentado) e fibras alimentares (encontradas em alimentos integrais, frutas e verduras), o bolo fecal fica ressecado e sua passagem pelo intestino é mais lenta. “Com menor eficiência na eliminação das toxinas, elas se acumulam e prejudicam a elasticidade e o viço da pele, favorecendo o aparecimento de acne e até processos alérgicos.”

veja também