Os cuidados que as grávidas devem ter na hora da depilação

Os cuidados que as grávidas devem ter na hora da depilação

Atualizado: Quarta-feira, 27 Abril de 2011 as 9:21

Muitas mulheres têm dúvidas sobre o melhor método de depilação, o que menos agride a pele e o mais eficaz para eliminar todos pelos. E, no período da gestação, isso não poderia ser diferente. Pelo contrário, as dúvidas só aumentam.

A dermatologista Eliandre Palermo, especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia explica se as grávidas devem ter mais cuidados na hora de se depilar.

De acordo com Eliandre, nesse período a pele fica mais sensível e suscetível ao aparecimento de pigmentações e manchas.

- Isso ocorre porque durante a gestação existe a liberação de um hormônio que atua aumentando a produção de melanina, que confere a pigmentação à pele. Podemos observar isso pelo escurecimento da aréola (área circular que envolve o mamilo), da linha que divide o abdômen e da ocorrência de melasma na face.

Além disso, a dermatologista conta que próximo ao parto a região pubiana está em processo de dilatação óssea e algumas mulheres tem a sensibilidade aumentada no local, principalmente na virilha.

- É uma área que deve ser tratada com carinho, pois podem ficar mais doloridas e, portanto, com mais chances de doer na hora da depilação.

Segundo a especialista, o melhor método de depilação para a gestante é aquele que ela já está acostumada e cuja pele reage melhor.

Sobre o laser, Eliandre afirma que como alguns tratamentos não foram testado em gestantes, não há comprovação se eles são liberados.

- Se a pessoa fez uma aplicação e não sabia que estava grávida, não há problema. Mas os médicos recomendam que sejam feitos os métodos tradicionais de depilação. Depois do parto, é possível voltar a usar o laser.

A dermatologista sugere manter a hidratação com bons produtos a base de uréia, ácido lático, óleos de amêndoas, semente de uva e silicones e usar e, uma vez por semana, usar esfoliantes corporais suaves.

- Uma dica caseira é usar açúcar, mel e aveia em flocos antes do banho nas áreas com pelos encravados e esfoliar levemente. Depois é só enxaguar com água morna e aplicar óleo de amêndoas.

Mas e a depilação íntima?

- A depilação íntima não é mais indicada ou necessária, mesmo para quem vai fazer parto normal. Muitos obstetras já descartam a necessidade da depilação total. Se a opção for a cera, não há problema algum, a não ser a dor da gestante. Mas como até a dor pode ser prejudicial, o ideal é não fazer a depilação total, a não ser por recomendação do obstetra.

Quanto à cera, a única indicação é sobre a higiene do local e do próprio produto.

- Assim como para todas, a gestante não deve utilizar cera reaproveitada. Além disso, é necessário ter um cuidado maior com a temperatura e com o pelos encravados que podem surgir depois, pois podem inflamar e infeccionar.

Apesar disso, a rede de franquias de depilação Pello Menos recomenda a depilação feita com cera morna. Segundo Regina Jordão, esteticista e proprietária da rede, a cera morna é a mais indicada por dilatar os poros e relaxar a pele, sem causar as queimaduras e irritações comuns da cera quente.

Eliandre ainda cita os cremes depilatórios.

- Eles são ótimos, mas o único problema é a possível hipersensibilidade. É necessário que a gestante faça um teste prévio em uma área pequena do corpo e siga as instruções da embalagem do produto.

veja também