Para brasileiros, investir em cosméticos melhora a qualidade de vida.

Para brasileiros, investir em cosméticos melhora a qualidade de vida.

Atualizado: Terça-feira, 19 Abril de 2011 as 9:32

Muitos cosméticos que antes eram vistos como artigos de luxo pelos brasileiros das classes C, D e E passaram a fazer parte da cesta básica e a serem vistos como investimento na   qualidade de vida , informa reportagem desta terça-feira (12) publicada no caderno "Equilíbrio", do jornal "Folha de S. Paulo".

O levantamento, feito pelo instituto Data Popular com 5 mil pessoas no último trimestre de 2010, aponta que as classes emergentes já são maioria no   mercado de beleza .

Com maior poder aquisitivo - hoje, de cada 100 brasileiros, 56 são da classe C - aumenta também o acesso a outros mercados. Além disso, também surgiram no último ano produtos de qualidade com   preços mais acessíveis .

Ainda de acordo com a reportagem, o Brasil já tem o   segundo mercado de beleza do mundo . A pesquisa indica, por exemplo, que 80% das mulheres de classe C compraram esmalte no último mês, e que 81% consumiram perfume neste mesmo período. Os cremes faciais foram comprados por 60% das mulheres da classe C no último mês. Em 2003, esse número era de apenas 23%.

E a vaidade também é evidenciada em outras duas questões: 33% dos entrevistados da classe C fazem questão de   estar impecáveis   sempre; e 32% dos integrantes das classes C, D e E fariam plástica pelo menos uma vez na vida.  

veja também