Perfumes clássicos ganham toque de modernidade e continuam em alta

Perfumes clássicos ganham toque de modernidade e continuam em alta

Atualizado: Segunda-feira, 28 Março de 2011 as 11:24

Muitas pessoas acham que as fragrâncias clássicas são antigas e ultrapassadas. Os chamados "perfumes da vovó" possuem uma certa idade sim. Estão na categoria sênior, mas estão longe de serem ultrapassados. Muito pelo contrário, eles são atemporais que nunca saem de moda. E se formos verificar mais a fundo, o perfume só pode ser considerado realmente um clássico quando ele ditou moda. Confira então quais são aqueles que mesmo criados há muito tempo, foram repaginadas, ganharam um toque mais moderno e continuam em alta.

Vários clássicos ainda estão no mercado, e muitos são sucessos de venda até hoje, como o Chanel Nº5, Shalimar, Fahrenheit, Azzaro, Opium, Angel, Poison, CKOne, etc...

Na verdade, quem entende de perfumes sabe exatamente que os "perfumes da vovó"  são criações que marcaram uma época, podendo até serem elevados a categoria de obra de arte, e dignos de exposição pelos museus de perfume mundo afora.

Apesar de serem eternos, muitas marcas resolveram reeditar seus clássicos dando a eles toques de modernidade e apostar no público mais jovem que, de certa forma, gosta de tradição e de colocar um pezinho no passado, seja com uma mudança no design do frasco para chamar mais atenção, ou reelaborando a própria fragrância. Fizemos então uma lista de 10 clássicos que foram modernizados. Vale a pena conferir, pois afinal de contas, eles são símbolos de qualidade!

1. Chanel Nº 5 Eau Premiere EDT de Chanel – A marca recriou o perfume mais vendido do mundo, mantendo o mesmo luxo, simplificando sua estrutura e trazendo mais frescor e efervescência. O perfume não perdeu a sua essência, ficando mais leve e mais atual. Uma grande conquista para o perfumista Francis Jacques Polge que conseguiu recriar um ícone da perfumaria sem modificá-lo! (Se você quiser saber toda a história sobre esta fragrância, clique aqui)

2. L'Air Du Temps EDP de Nina Ricci -  O perfume que foi criado há 63 anos recebeu uma edição limitada, com  frasco ultra moderno desenvolvido pelo famoso designer francês Phelippe Starck. Já a fragrância, continuou a mesma, pois de acordo com a marca, ela continua sendo atual mesmo que criada há tanto tempo atrás. O perfume incorporou duas idéias: liberdade e jovialidade. Um pouco de sedução, um pouco de poder, muito charme e refinamento era o emblema da marca na década de 40, e continua, ao nosso ver, tudo que uma mulher ainda quer possuir!

3. Belle D'Opium EDP de YSL -  Esta versão contemporânea do ícone dos anos 70 traz um novo frasco, mais simplificado de cor arroxeada. A fragrância que continua inspiranda no Oriente, apresenta nesta versão toques chipres, e  vem sendo criticada pela mídia, que considera a original imbatível. Questão de gosto, vale a pena conferir pessoalmente!

4. Shalimar Ode à Vanille EDP da Guerlain -  Redesenhado por Jade Jagger (filha de Mick Jagger), o novo frasco é uma versão moderna e lindíssima do antigo, provando que a inglesinha sabe o que faz. O perfume recebeu uma dose reforçada de notas de vanilla de Madagascar. O original, criado por Thierry Wasser, é referência histórica para perfumes orientais. Para os fãs de Guerlain, vale a pena encomendar para colecionar, pois essa edição ilimitada só está sendo vendida nas lojas da marca.

5. Uma outra versão de Shalimar mais fresca é a Shalimar Eau Légerè Parfumée EDT, lançada em 2003 como fragrância para o verão. Mais jovem, essa versão mantém a base oriental de vanilla e âmbar que transformou esse perfume em ícone dos orientais. O frasco também recebeu uma versão mais suavizada na cor azul.

6. Parisienne EDP de YSL – Paris de YSL foi lançado na década de oitenta. Vinte e oito anos depois ele continua sendo sucesso de vendas e referência para perfumes de rosas. Parisienne foi criado por Sophia Grosjman e Sophie Labbé para jovens que continuam acreditando que La vie é rose!

7. L'Eau de Issey Florale EDT de Issey Myiake – Este novíssimo lançamento da marca, segue a nova tendência de perfumes com tema de rosas. A reinterpretação da fragrância clássica de Issey Myiake recebeu uma personalidade mais jovial, com mais flores e efervescência. O perfumista Alberto Morillas traduziu a feminilidade por um lindo buquê de botões de rosas.

8. J'Adore L'Or EDP da Dior – não poderia ser chamado de "perfume da vovó" pois foi criado na década de 90. É considerado um clássico da Dior e símbolo da luxuosidade da alta costura. Referência na perfumaria trouxe de volta da sensualidade e da feminilidade que ficou apagada nos anos noventa, com a febre dos perfumes frescos e com notas aquosas. Vários flankers foram lançados, sendo o último L'Or, mais complexo e mais intenso, seguindo a tendência (2010-2011) do luxo exacerbado. O frasco feito a mão, um a um, vem adornado em ouro, acentuando mais ainda sua preciosidade.

9. Aqua Fahrenheit EDT da Dior – Ícone masculino, o perfume original Fahrenheit marcou historicamente a perfumaria de luxo com o seu acorde de violetas com notas amadeiradas. Criado na década de oitenta, é um dos perfumes masculinos mais vendidos no mundo. As características contrastantes de notas mornas com frias, suavidade e  rusticidade, delicadeza e força tornaram este perfume um ícone de criação. A nova versão lançada este ano traz o contraste entre a água e o fogo, mantendo a personalidade do original. A composição de violeta e madeiras foi mantido também, porém o perfumista François Demarchy trouxe notas mais aromáticas à composição, dando uma característica mais de colônia para a fragrância. O frasco recebeu tonalidades de vermelho e preto que lembram labaredas. O homem moderno quer seduzir! Confira esta belezinha!

10. Elixir Azzaro Pour Homme EDT da Azzaro -  Azzaro Pour Homme, um clássico da perfumaria masculina criado na década de setenta, ainda é o perfume preferido dos brasileiros.  A versão original tornou-se com o tempo mais sedutora. A marca lançou em 2009 sua versão Elixir e manteve a sensualidade com notas mais orientais e mais amadeiradas. A modernidade traduzida em notas frutais na saída. O frasco recebeu uma tonalidade vermelho escura, acentuando a idéia da virilidade.

veja também