Relógios viram febre e ganham status de acessório fashion

Relógios viram febre e ganham status de acessório fashion

Atualizado: Quinta-feira, 4 Novembro de 2010 as 10:20

Coloridos, grandes, pequenos, redondos, com pulseiras de plástico, couro e silicone. Nos pulsos de gente jovem e descolada, nos editorias de moda, nas vitrines de grandes grifes e esparramados em banquinhas de camelôs na rua 25 de Março, o popular centro de comércio a céu aberto de São Paulo. Definitivamente, é impossível não notá-los.

Veja modelos de relógios

Também não há como negar: os relógios deixaram de ser meramente o lugar em que se veem as horas e ganharam status de acessório fashion. De uns tempos para cá, disputam com bolsas, sapatos, joias e bijuterias um lugar na produção dos mais antenados.

Andréia Miron, consultora e professora do curso de moda da Faculdade Santa Marcelina, tem uma explicação para essa retomada.

- Os relógios começaram a perder espaço nos anos 1990. Isso porque, aos poucos, as pessoas passaram a ver as horas nos computadores e nos celulares.

De acordo com ela, foi com a saturação desses eletrônicos que os relógios voltaram a ganhar seu espaço nos pulsos e nas mentes dos consumidores, que os encaram como um artigo de valor agregado, devido ao design moderno e à informação de moda.

- De uns cinco ou seis anos para cá, o relógio veio timidamente reconquistando o público. Mas ocorreu um estouro nos últimos meses.

O "estouro" do qual a especialista se refere tem ligação com o setor de relojoaria, que percebeu o potencial dos relógios e passou a seguir tendências da moda na hora de criá-los.

Vanessa Saab, diretora de marketing do Grupo Dumont, explica a estratégia.

- Os fabricantes passaram a fazer pesquisas e a seguir tendências, assim como acontece nos lançamentos de coleções de roupas, bolsas e sapatos. Se a tendência são cores cítricas, os relógios aparecem nestes tons, por exemplo.

Segundo ela, a prova do sucesso são as vendas, que já aumentaram 30% em relação ao ano passado.

veja também