Rugas dinâmicas e estáticas: entenda a diferença e saiba como tratar cada uma delas

Rugas dinâmicas e estáticas: entenda a diferença e saiba como tratar cada uma delas

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 10:35

Com o tempo é inevitável que as rugas apareçam. Elas ficam cada vez mais visíveis e acabam denunciando a idade. Esse processo é natural e faz parte do envelhecimento, mas podemos minimizar o aspecto "pele envelhecida" que elas causam. Porém, antes de escolher o tratamento que vai combater essa "inimiga", é importante saber que existem dois tipos de rugas: as dinâmicas e as estáticas. Para isso, conversamos com especialistas para entender as diferenças e os cuidados específicos para evitar e tratar cada uma delas.

De acordo com a dermatologista Érica Monteiro, as rugas dinâmicas são aquelas causadas por conta da ação da atividade muscular. "Os músculos do rosto são ligados à pele, portanto os movimentos repetidos levam à formação das rugas dinâmicas", diz. Como consequência dessas contrações, surgem as linhas de expressão na testa, entre as sobrancelhas e ao redor dos olhos.

Já as rugas estáticas são mais profundas, causadas pelo envelhecimento da pele pela idade, já que com o passar do tempo há diminuição na síntese de colágeno e elastina, além de perda de ácido hialurônico e diminuição da capacidade regenerativa do tecido epitelial, que leva a um afinamento natural da pele. As estáticas são formadas pela combinação do envelhecimento natural da pele + ação de agentes externos, como exposição ao sol, fumo, poluição. De acordo com Paschoal Rossetti Filho, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética, as rugas estáticas também podem ser uma evolução das rugas dinâmicas que não foram tratadas.

Até aqui tudo bem, mas elas exigem os mesmos cuidados? Qual tratamento escolher para combater cada uma delas? Quais cremes usar para minimizar seus aspectos? A dermatologista Érica Monteiro afirma que há diferenças entre o tratamento das rugas dinâmicas e estáticas. "As dinâmicas precisam do efeito relaxante muscular da toxina botulínica e as estáticas, aquelas mais profundas e permanentes, precisam de preenchimento com ácido hialurônico". A gente explica: a diferença é que a toxina botulínica tipo A é injetada diretamente no músculo responsável pela formação das linhas de expressão, tem função de relaxar e minimizar o aspecto da ruga. Já o preenchimento é indicado para rugas mais profundas, porque preenche áreas com perda de volume. A especialista indica esses tratamentos em casos onde as marcas de expressão são acentuadas e as linhas e sulcos são moderados a profundos.

Já para quem tem rugas não tão profundas e nem tão acentuadas ou prefere recorrer aos cosméticos para tratá-las, Paschoal Rossetti Filho, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética, recomenda utilizar cremes com ativos funcionais que diminuam a extensão e profundidade dos sinais do envelhecimento. Para isso, o profissional indica ácido hialurônico de baixo peso molecular, colágeno hidrolisado, elastina vegetal, vitamina C e silício, que estimula a síntese de colágeno e regenera o tecido cutâneo. Veja como esses ativos agem na pele:

Ácido hialurônico de baixo peso molecular: é obtido a partir do ácido hialurônico hidrolisado. Preenche o espaço intracelular para manter a estrutura do tecido. Mantém a hidratação, lubricidade, flexibilidade e proteção contra bactérias. Possui excelente retenção hídrica que fornece hidratação apropriada a pele. Possui excelente absorção transepidermal com hidratação duradoura;

Colágeno hidrolisado: com alto teor protéico, é um ativo natural que confere excelente hidratação e ação restauradora da pele. Reduz ação de tensoativos com alta afinidade com a estrutura da pele. Aumenta o poder de retenção da umidade, e melhora o filme hidrolipídico, reduzindo a perda transepidérmica de água, mantendo bons níveis de hidratação. Mantém o fator de hidratação natural da pele;

Elastina Vegetal: ingrediente ativo anti-elastase de origem exclusivamente vegetal, protege a pele da degradação. Rica em bioflafonóides permite proteger a integridade das fibras elásticas combatendo as elastases destrutivas. Possui ainda extrato de folha de uva ursi (regulador da circulação sanguínea, com prorpiedades adstringentes, ideal para fornecer tônus à pele fatigada e atônica), casis (antioxidante) e flor do maracujá (rico em flavonóides, recomendado para aumentar a micro circulação cutânea).

veja também