Saiba fechar os poros

Saiba fechar os poros

Atualizado: Terça-feira, 25 Outubro de 2011 as 8:17

Sabe aqueles furinhos que aparecem na pele para incomodar? São os poros que estão dilatados e precisam ser cuidados. Se a sua pele é oleosa, eles ficam ainda mais aparentes. Mas, tudo tem um jeito. É importante, no entanto, que você saiba a razão disso acontecer antes de buscar tratamento.

Os poros podem dilatar devido à produção excessiva de óleo pelas glândulas sebáceas, ao acúmulo de resíduos na superfície da pele, ou então, em resultado da quebra da estrutura de colágeno da “parede” do poro, que acontece à medida que se envelhece. Além disso, pele oleosa, também é uma herança genética e, provavelmente, quem tem terá maior tendência a poros dilatados, uma vez que o canal que excreta a secreção sebácea terá que comportar um maior volume de sebo.

A oleosidade na superfície da pele deixa de ser normal quando a pele fica constantemente brilhante, a superfície fica irregular com acentuação dos poros principalmente na zona central da face, e quando há o surgimento de cravos e espinhas. Mas não é só isso. O aumento da produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas também pode ocorrer por fatores climáticos (aumento de temperatura), estresse e uso de medicamentos ou produtos cosméticos inadequados. 

Laser fracionado e luz pulsada

Atualmente, nas clínicas de estética existem vários tratamentos, mas, dois deles são os mais indicados para acabar com os poros dilatados e a oleosidade excessiva da pele: o laser fracionado e a luz pulsada.

Os lasers fracionados são assim chamados porque tratam frações da pele a cada aplicação. Numa sessão, são geradas microqueimaduras na superfície da pele com a função de tratar irregularidades na pele (pequenas manchas, cicatrizes, textura etc) e também estimular colágeno. “Eles não ‘contraem’ os poros, mas deixam a textura da pele mais lisa e com aparência de menos irregularidades”, explica a Dra. Fernanda Sanchez, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, pós-graduada em dermatologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). 

Trata-se de um tratamento coadjuvante e deve ser realizado por, no mínimo, três sessões de 30 minutos a cada mês ou dois meses. Com ele, a pele se recupera em aproximadamente sete dias e, entre uma sessão e outra, é recomendável a aplicação de ácidos à noite para manter os resultados. A sessão custa em torno de R$ 1.200.

Já a luz intensa pulsada é um tratamento que trata a pele de maneira global, pois age nas manchas, nos pequenos vasos, nas rugas, nas cicatrizes leves e nos poros dilatados. A técnica também possui atividade anti-inflamatória, equilibrando a oleosidade da pele e desinflamando a acne. “Para quem tem acne e pele com oleosidade ela é melhor opção do que o laser fracionado. Agora, se a pele tiver poros muito dilatados ou cicatrizes de acne o laser fracionado é mais indicado”, compara a médica. A sessão de luz intensa pulsada dura aproximadamente 20 minutos e deve ser feita a cada 30 dias, num total de três a cinco sessões. Preço médio R$ 300. 

Importante: entre uma sessão e outra, tanto do laser fracionado quanto da luz pulsada, deve-se estimular a renovação celular com produtos dermatológicos prescritos por um dermatologista. Por isso, procure sempre um médico antes de iniciar qualquer tratamento.

veja também