Suplementos naturais tem adeptos, mas médicos alertam a dependência

Suplementos naturais tem adeptos, mas médicos alertam a dependência

Atualizado: Segunda-feira, 6 Dezembro de 2010 as 9:56

Caralluma fimbriata (um tipo de cacto), Citrus aurantium (laranja amarga), pino thin, canela e Irvingia gabonensis (manga africana) são apenas alguns dos novos suplementos nas prateleiras das lojas de produtos naturais que prometem eliminar vários quilos em poucos meses com quase - ou nenhum - sacrifício.

A caralluma, substância extraída de um cacto; o composto feito da casca de laranja amarga e a soja preta, rica em ômega 3, isoflavona e fibras, conquistaram legiões de fãs e se esgotam rapidamente das prateleiras. Porém, os médicos alertam que os suplementos para emagrecer podem fazer mais mal do que bem, principalmente se tomados sem orientação médica.

- O tratamento para obesidade é um dos trabalhos mais desafiadores que existem. É um processo que pode durar anos e gera desgastes e frustrações. Todo mundo quer uma solução mágica, mas infelizmente elas não existem - afirma o endocrinologista Ricardo Meirelles, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Não existe solução única

Longe de ser gordo, o fotógrafo e consultor de beleza Fernando Torquatto descobriu a casca de laranja amarga (da marca Divine Shen) com uma massagista de São Paulo e investiu. Tomou uma cápsula diária durante três meses, perdeu 6,8 quilos e fez as pazes com o espelho. Sem dieta.

- Esses quilos a mais me incomodavam, mas com a minha vida corrida eu não conseguia ter uma disciplina alimentar muito rígida. Com a cápsula eu comia pouca quantidade de tudo, e o que eu comia parecia demais - conta.

A massagista paulista Renata França descobriu o produto com clientes modelos. Na primeira semana perdeu 4 quilos e, ao fim de um mês e meio, emagreceu 14 quilos. Hoje é tão fã que mais parece uma representante da marca:

- Perdi todas as gordurinhas e fiquei sem vontade de comer besteira. Só dá um pouco de sede, mas acho que é pra forçar a beber água mesmo - aposta. - Parei de tomar há três meses mas não voltei a engordar. E olha que eu faço massagem todos os dias das 8h às 23h, não dá pra malhar!

Para o endocrinologista, nenhum suplemento pode ser encarado como uma solução única. Só a mudança da dieta e a inclusão da atividade física na rotina garantem a perda de peso a longo prazo.

- As pessoas que tentam emagrecer e não conseguem, ou emagrecem e engordam, ficam mais vulneráveis e inseguras e acabam buscando novidades. Muitas vezes, o suplemento funciona como um placebo. Como a pessoa está gastando dinheiro em um produto que costuma ser caro, ela se sente mais motivada a comer direito e a praticar exercícios.

A figurinista Daniela Oliveira ganhou de presente de aniversário um composto de extrato de canela, tomou alguns comprimidos e há pouco tempo começou a tomar >ita - Não adiantou nada, acho que essas coisas não funcionam - diz.

A nutricionista Patrícia Davidson Haiat, do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional, alerta que comprar um suplemento à base de ervas e achar que o produto é inofensivo é um grande erro. A maioria das substâncias tem um efeito laxante que pode causar cólicas intestinais e até lesões no intestino.

As cápsulas de chá verde e de chá branco podem aumentar a pressão arterial, o risco de problemas cardíacos e causar anemias, já que impedem a absorção de ferro. A laranja-amarga pode causar taquicardia e náusea. Todos são absolutamente contraindicados para grávidas, pois podem ter efeito abortivo, e para lactantes, já que vão parar no leite materno.

- Alguns produtos tidos como naturais geram dependência, principalmente aquelas formulações para funcionamento intestinal ou shakes emagrecedores. Outros podem realmente ajudar, mas só um especialista poderá analisar o paciente e dar uma boa indicação.

veja também