Técnicas de preenchimento labial deixam resultado natural

Técnicas de preenchimento labial deixam resultado natural

Atualizado: Terça-feira, 6 Dezembro de 2011 as 9:51

Ter lábios carnudos e bem delineados é o sonho de muitas mulheres. Infelizmente, fatores biológicos ou a idade podem interferir significativamente em seu aspecto, tornando toda a face desproporcional. Assim como o nariz, os lábios são facilmente notados, e qualquer desarmonia dificilmente pode ser disfarçada. Existem, porém, procedimentos pouco invasivos que podem devolver a beleza dos lábios e rejuvenescer a mulher.

A mais conhecida e utilizada é o preenchimento com ácido hialurônico, um composto sintético facilmente absorvido pelo organismo e difícil de ser rejeitado. Famosas como Meg Ryan, Lindsay Lohan e Kim Kardashian se renderam às agulhadas para conseguirem lábios mais projetados e sensuais. “A idade não é fator determinante. Principalmente entre mulheres caucasianas, a procura por preenchimento cresceu porque elas têm lábios finos por natureza”, explica Flávia Addor, coordenadora do Departamento de Cosmeatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Uma das vantagens do ácido é o fato de ele ser um preenchedor não definitivo. Em geral, o efeito dura de oito meses a um ano. O que torna a sua aplicação mais segura, já que em casos de exagero, como parece ter sido o caso da cantora Cher ou Donatella Versace, o procedimento pode ser revertido. Uma aplicação varia de R$ 1.000 a R$ 1.500.

Preenchedores definitivos x temporários Outro produto comum, mas não tão utilizado é o polimetilmetacrilato (PMMA), um preenchedor definitivo que divide a opinião de dermatologistas. Ao contrário do ácido hialurônico, esse composto não está presente no corpo humano, o que pode desencadear processos de rejeição, como a formação de granulomas ou reações alérgicas. “É um produto mais complicado, o médico tem que ter um cuidado ainda maior na aplicação para que o efeito seja o esperado, do contrário, não tem volta”, afirma a Dra. Jucirema Perrony, dermatologista e Membro Titular da SBD.

O que preocupa os médicos neste caso, além de eventuais exageros que conferem uma aparência antiestética às mulheres, é a possibilidade de formação de nódulos e assimetrias nos lábios. Quando essas complicações aparecem na utilização do ácido, os médicos podem recorrer à aplicação da hialuronidase, uma enzima que quebra as partículas do ácido. Mas, se acontecer durante a aplicação do PMMA, não tem volta. 

Além dessas técnicas existe também o enxerto de gordura, ainda menos utilizado que os outros dois. Nessa técnica, é retirada uma quantidade de gordura da própria paciente, que é tratada e colocada nos lábios. “Esse procedimento é um pouco mais complicado, porque é preciso tratar a gordura, então o ambiente precisa ser estéril. No entanto, assim como o ácido hialurônico, a gordura é absorvida pelo organismo, então ele entra na categoria de preenchedores temporários”, afirma Flávia. 

Outras técnicas como o preenchimento com colágeno ou plasmagel também estão disponíveis no mercado, no entanto são pouco utilizadas no Brasil. 

O mais importante entre os procedimentos é ouvir o especialista com o qual você está se consultando. Como o ácido e a gordura absorvem água, em aproximadamente dez dias, os lábios estarão maiores do que imediatamente após a aplicação, portanto, é importante esperar para que o resultado não fique artificial demais, caso seja necessário, o procedimento pode ser repetido quantas vezes forem necessárias. “O preenchimento deve ser sutil, entrar em harmonia com o rosto. Esse procedimento, sozinho, não vai mudar completamente o rosto da pessoa. É preciso ter parcimônia na aplicação, ou o resultado pode ser desastroso”, ressalta Dra. Jucirema.

veja também