Tinta de cabelo errada? Calma, saiba o que fazer

Tinta de cabelo errada? Calma, saiba o que fazer

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 9:54

Não é difícil imaginar a cena: você vai ao cabeleireiro pede uma tintura ou um corte diferente. Senta, espera o resultado ansiosa e assiste toda aquela transformação pelo espelho. Ao terminar o serviço o cabeleireiro pergunta: gostou? Tarde demais, o estrago já está feito.

Muitas mulheres saem do salão de beleza insatisfeitas com o penteado, corte ou tintura. Para evitar esse tipo de constrangimento, é preciso ficar atenta com a tonalidade da pele. "O cabelo faz parte de um todo, por isso, a cor pode ser escolhida de acordo com a etnia e o estilo de vida de cada pessoa. As mulatas ficam bem com os tons chamados de quentes: castanhos avermelhados, acajus, marrons. Já as de pele mais clara, ficam bem com tons mais suaves com nuances douradas, acobreadas ou mesmo as acinzentadas", orienta a coordenadora técnica da Wella, Alessandra Meder.

Outra opção é fazer um teste antes de escolher definitivamente a cor desejada. "Muitos profissionais fazem o teste da cor para verificar a tonalidade e reação do produto no couro cabeludo. Esse tipo de procedimento é feito em uma mecha perto da nuca, para que a diferença não fique evidente", explica o cabeleireiro Wilson Duarte.

Na maioria dos casos, retirar a tintura do cabelo leva tempo, paciência e nem sempre o resultado é instantâneo. Cada coloração tem sua matizadora, ou seja, sua cor complementar. Os tons mais claros podem ser cobertos por tonalidades mais fortes. Já as cores escuras precisam de ação química e produtos de descoloração. Esse tipo de procedimento deve ser feito por um especialista da área e com produtos próprios para a situação.

"Na busca pela economia as mulheres acham que retirar ou modificar a tintura do cabelo é fácil e pode ser feita em casa. Esse tipo de tratamento deve ser feito em salões de beleza com acompanhamento, mesmo em situações simples como os retoques de raiz. É importante lembrar que o acompanhamento é feito desde a aplicação até a lavagem e retirada do produto", alerta Wilson.

Segundo o dermatologista e médico cosmiatra Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, a recomendação é que as pessoas não passem tintura nos cabelos, sobretudo, as que têm fios mais frágeis e com tendência à queda. O alerta também é de evitar realizar dois tipos de química no mesmo dia. "Submeter os cabelos a químicas consecutivas pode enfraquecê-los ainda mais e promover o aumento da queda", comenta o dermatologista. Todos os médicos presentes no encontro chegaram ao consenso de que o correto é esperar pelo menos 15 dias entre uma e outra química.

A cor dos cabelos diz muito sobre você e o interessante é que a cor pode ser modificada de acordo com a estação, tendência, humor. Mas para isto é necessário usar produtos de qualidade nas mãos de um especialista de confiança.

Por: Natália Vizza

veja também