Toxina botulínica pode ter efeito de plástica

Toxina botulínica pode ter efeito de plástica

Atualizado: Segunda-feira, 20 Abril de 2009 as 12

Evitar as rugas, acabar com o suor excessivo, tratar a dor de cabeça e agora um novo uso para a toxina botulínica, o efeito de mini-lifting facial. A novidade foi discutida por dermatologistas do mundo todo no Meeting da Academia Americana de Dermatologia, em São Francisco, e consiste na aplicação do medicamento em camadas mais profundas.

Esta nova técnica tem como objetivo corrigir o equilíbrio entre os músculos faciais, alterado com o processo de envelhecimento. Desta forma, recomenda-se relaxar os músculos depressores, que fazem nossa pele "cair" e que conferem uma aparência mais entristecida. Entre os músculos trabalhados nesta nova abordagem estão os presentes na região da glabela (entre as sobrancelhas), os orbiculares dos olhos (que formam os pés-de-galinha), os depressores do ângulo oral (localizados nos cantos da boca) e o músculo platisma (que vai desde a mandíbula até o osso conhecido como "saboneteira"). Relaxando-os, os músculos elevadores ganham mais força, proporcionando assim o efeito de mini-lifting facial.

"As técnicas de aplicação de Botox (referência a uma marca de toxina botulínica) foram aperfeiçoadas e os resultados estão cada vez melhores, mais naturais e harmônicos", comenta o dermatologista Otávio Macedo, da Academia Americana de Dermatologia (AAD). O sucesso das injeções é tanto, que as estatísticas da ASAPS (American Academy of Aesthetic Plastic Surgery), posicionam este tratamento como o procedimento estético não-invasivo mais realizado nos Estados Unidos. Só em 2008, foram realizados quase 2,5 milhões de tratamentos.

veja também