Uma questão de hidratação

Uma questão de hidratação

Atualizado: Quinta-feira, 19 Março de 2009 as 12

Hidratar a pele é a tônica dos períodos mais frios do ano. Como nosso corpo sua menos (o suor ajuda na hidratação cutânea), o vento frio desidrata a pele, a umidade relativa do ar fica baixa em algumas regiões do país e ainda a temperatura da água no nosso banho fica mais quente, podemos dizer que somando todos estes fatores temos o cenário perfeito para a desidratação da cutânea.

A pele desidratada acompanha descamação, sensação de desconforto, maior sensibilidade, alergias e uma tendência aumentada ao envelhecimento. Logo, sabendo disto, temos que ficar atentos às diversas formas de reduzir os efeitos da desidratação cutânea e de melhorar os quadros que acompanham esta situação.

Entre as sugestões mais adequadas para reduzir os efeitos deletérios da pouca quantidade de água na pele o banho em temperaturas mais amenas é aconselhado.

Sabonetes hidratantes ajudam muito uma vez que são menos adstringentes e, consequentemente, eliminam menos hidratação da pele.

Óleos de banho são excelentes na medida que já ajuda a sair do banho com a pele, se não totalmente, pelo menos parcialmente hidratada.

Loções hidratantes e cremes hidratantes devem ajudam a evitar peles sensíveis e até mesmo quadros de alergias uma vez que repõem elementos essenciais à boa proteção cutânea.

Beber muita água, alimentos ricos em água (como vegetais), e alimentos ricos em óleos essenciais (azeite de oliva, sementes de linhaça, arroz integral, pães integrais, grãos em geral), colaboram fornecendo matéria-prima para a formação de uma pele saudável, mais hidratada e resistente a agressões.

Com estes cuidados dificilmente a pele sofrerá com danos excessivos causados pela hidratação e os meses mais fios do ano serão mais confortáveis e prazerosos.

Dr Ademir Jr. (CRM 92.693) é autor desse artigo, médico dermatologista especialista em tricologia (medicina capilar) pela Internacional Association of Trichologists. Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da Sociedade Brasileira de Termalismo, e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Presidente do Grupo de Apoio a Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos - GAPSOP. Professor de Anatomia e Fisiologia da pele no curso de Pós-Graduação em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz - SP/SP. Autor dos Livros: "Socorro, Estou ficando careca", publicado pela Editora MG em 2005, "Tem alguma coisa errada comigo - Como entender, diagnosticar e tratar a Síndrome dos ovários Policísticos", publicado pela Editora MG em 2004 e "É outono para meus cabelos - Histórias de mulheres que enfrentam a queda capilar" - Editado pela Editora Summus.

veja também