Uso indevido de ácido retinoico pode acelerar envelhecimento da pele

Uso indevido de ácido retinoico pode acelerar envelhecimento da pele

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 11:48

Usado para tratar rugas e estimular a produção de colágeno, o ácido retinoico pode também ter seu papel negativo e acelerar o envelhecimento da pele, caso seja usado de forma incorreta. Isso foi o que comprovou um estudo recente publicado pelo British Journal of Dermatology, que mostrou que se o ácido causar inflamação na pele, sua ação e a produção de colágeno serão reduzidas, causando assim o efeito contrário do que se espera ao usá-lo.

Na pesquisa, foram testadas as concentrações de 0,01%, 0,025% e 0,05% do ácido nas formulações, aplicadas nas nádegas de voluntários três vezes por semana durante oito semanas. Os médicos fizeram biópsias periódicas na pele deles e constataram a inflamação e a redução do colágeno em quem usou concentrações maiores ou iguais a 0,025% de ácido.

De acordo com Marcelo Bellini, dermatologista em São Paulo, CRM 76313, o primeiro erro é justamente esse: exagerar nas concentrações do ácido retinóico. "O ideal ao usar o ácido é começar o tratamento com porcentagem baixa e aumentar gradativamente", diz.

Outro erro é acreditar que o medicamento só está realmente funcionando se a pele descamar. "As pessoas têm uma fantasia de que o ácido funciona apenas se deixar a pele descamando. Na verdade, esse estudo prova justamente o contrário: para seu efeito rejuvenescedor, o ácido nao deve provocar nenhuma descamação." afirma o dermatologista Jardis Volpe.

Casos de sensibilidade, descamação, vermelhidão e irritação na pele indicam que o ácido não está sendo usado corretamente. De acordo com a dermatologista Melissa Falcão, da clínica La Liq, é normal que isso aconteça no início do tratamento, principlamente em peles mais sensíveis, mas não pode se prolongar. "Neste caso, é indicado o uso em noites alternadas ou três vezes por semana. Porém, se a irritação permanecer, pode ser alergia e sensibilidade ao produto, ou forma incorreta de uso", explica a médica.

Para Bellini, a forma mais segura de usar o ácido é aplicá-lo em noites alternadas e intercalá-lo com hidratante. "Em uma noite passa o ácido para renovar a pele e na outra o hidratante para nutrir", ensina o médico, que ainda lembra que o uso de protetor solar todas as manhãs é imprescindível.

Outro ponto importante é não exagerar na quantidade. "O ideal é passar o equivalente a um grão de ervilha para o rosto todo, espalhando suavemente", explica Melissa.

O ácido retinoico pode ser usado em todos os tipos de pele, desde as secas às oleosas. "O que muda é o veículo, ou seja, para as secas recomendamos cremes; para as mistas, sérum ou oil free e para as oleosas, formulações em gel", diz Bellini.

De acordo com os especialistas, o ideal é que o ácido retinoico seja prescrito por um médico e que o especilaista faça um acompanhamento do uso do produto no paciente.

Outras funções do ácido retinoico na pele:

Retardar envelhecimento; Fechar os poros; Tratar acne e cicatrizes; Estimular e remodelar o colágeno; Estimular a produção de ácido hialurônico que ajuda a sustentar a pele; Potencializar a penetração dos princípios ativos clareadores.

veja também