Varizes devem ser tratadas para evitar complicações

Varizes devem ser tratadas para evitar complicações

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2009 as 12

As varizes é um mal que atinge boa parte da população e a falta de tratamento pode gerar outros problemas conforme alerta o médico cirurgião vascular José Roberto Bonfim Domenici Júnior, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André.

Varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas e tortuosas originadas de uma alteração funcional da circulação venosa. Estão localizadas no tecido subcutâneo - camada de gordura sob a pele - ou na parte intradérmica, são visíveis e na maioria das vezes palpáveis.

Homens e mulheres podem sofrer com a patologia e a sua ocorrência aumenta de acordo com o avanço da idade e além de comprometer a estética, também pode gerar complicações e sequelas.

As varizes surgem a partir de uma deficiência da circulação. As artérias levam sangue para todas as partes do corpo, que é devidamente bombeado pelo coração. A pressão sanguínea nas veias, no retorno do sangue ao coração é menor e a circulação depende da ajuda dos músculos da panturrilha, já que a volta do sangue ocorre contra a força da gravidade. As veias das pernas possuem válvulas em um único sentido, que impedem que o sangue retorne para os pés, caso ocorra falha em uma dessas válvulas ocorrerá um acúmulo de sangue provocando as varizes.

Segundo o especialista é importante impedir o refluxo sanguíneo para que o sangue que já subiu não desça novamente. "Para isso são utilizados mecanismos anti-refluxo direcionando o fluxo de baixo para cima", explica o médico.

As principais causas das varizes é o comprometimento da parede venosa e aumento da pressão dentro do vaso ou alteração na função das válvulas. Outros fatores também colaboram para o aparecimento da patologia como raça, idade, sexo, predisposição hereditária, obesidade, hábitos alimentares, hábitos posturais, gravidez, uso de anticoncepcionais, traumatismo e tabagismo.

"Não existe nenhuma relação que possa afirmar que a depilação, uso de salto alto, subir escadas, carregar peso, musculação e ginástica levem as varizes. Pelo contrário praticar ginástica, musculação e subir escadas é considerado também um exercício e são recomendados para a prevenção, desde que feitas de forma correta e sem exageros" esclarece o especialista.

Os principais sintomas são dores semelhantes a uma queimação; cansaço; sensação de pernas pesadas; edemas ao redor do tornozelo. Nas mulheres as dores podem ser mais intensas próximo ou durante a menstruação e na gravidez.

O tratamento varia de acordo com a característica e tamanho das varizes. As veias calibrosas, salientes que elevam a pele, são de tratamento cirúrgico; as microvarizes - veias tortuosas, sem saliência na pele, são de tratamento microcirúrgico; as telangiectasias - vasinhos finos na região externa ou interna das coxas, devem ser tratadas com escleroterapia - injeção de solução alcóolica ou hipertônica dentro dos vasos; e as veias perfurantes, que comunicam o sistema venoso profundo com o superficial causando edema, eczema, lipodermatoesclerose e úlcera, deverão ser tratadas com a técnica cirúrgica de vídeo-endoscopia.

"Se o paciente possuir as veias calibrosas com telangiectasias, primeiramente deverá realizar a cirurgia e depois a escleroterapia. Já os que não querem ou não podem fazer nenhum dos tratamentos, existe o tratamento clínico."

É importante lembrar que o paciente que recusar a operação poderá ter aumento dos sintomas, progressão da doença, hiperpigmentação cutânea, eczema varicoso, flebite superficial (veias varicosas inflamadas), infecção da pele, hemorragia, úlcera varicosa entre outros.

Normalmente as veias safenas magnas são preservadas, pois podem ser necessárias como pontes no coração, tratamento da angina do peito, infarto do miocárdio e como pontes nos membros inferiores. Porém se elas estiverem muito comprometidas com presença de refluxo deverá ser retirada para o tratamento da doença varicosa, pois ficam inválidas como pontes.

As veias tratadas com cirurgia ou esclerosadas não voltam, mas vale lembrar que outras poderão surgir já que a causa exata ainda e desconhecida ou mesmo pela dificuldade de ser constatada.

O mais importante é tentar prevenir a doença evitando ganhar peso, adotar uma dieta rica em fibras, não permanecer muito tempo parado em pé ou sentado, usar cintas abdominais apertadas, caminhar e praticar exercícios físicos, não fumar, usar meias elásticas de média compressão durante a gravidez, evitar anticoncepcionais e descansar com as pernas elevadas.

veja também