Verão requer cuidado dobrado com a pele, então use do protetor solar

Verão requer cuidado dobrado com a pele, então use do protetor solar

Atualizado: Terça-feira, 21 Dezembro de 2010 as 9:28

Todo mundo sabe (ou deveria saber), mas é sempre bom lembrar que aquele bronzeado da moda, a famosa “cor do verão”, pode vir acompanhada de lesões como pintas e manchas. E isso pode ser sinal de câncer de pele. Quase 14% das pessoas atendidas nos últimos dez anos em uma campanha anual feita pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, em parceria com o hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo, apresentaram lesões de câncer de pele.

Mas não fique alarmado. Com cuidados básicos é possível se proteger e garantir a saúde da pele em longo prazo. Para aproveitar o sol e ao mesmo tempo se prevenir dos efeitos indesejados dos raios UV, a principal coisa a fazer é usar sempre o protetor solar.

O uso correto do protetor solar, mesmo em dias nublados, é uma das medidas de prevenção da doença que está entre os três tipos de câncer que mais acometem os brasileiros. “O mínimo recomendado é FPS 15, e aconselhamos sempre comprar este produto em estabelecimentos conhecidos, jamais de ambulantes ou camelôs, para evitar a aquisição de produtos falsificados”, explica Rui Dammenhain, especialista no assunto e diretor do Instituto Brasileiro de Auditoria em Vigilância Sanitária (Inbravisa).

Alguns cuidados devem ser observados na utilização do protetor solar. A aplicação, por exemplo, deve ser feita no mínimo 30 minutos antes da exposição ao sol. Todos os protetores solares, até mesmo os resistentes à água, devem ser reaplicados após duas horas de exposição, após nadar ou mergulhar, secar-se com toalha, praticar exercícios físicos ou suar excessivamente.

Não economize no protetor: quanto menor a quantidade, menor a proteção

Outro ponto importante é quanto à quantidade de protetor solar passada. Uma pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) indicou que passar pouca quantidade de protetor solar pode influenciar na real proteção da pele. “É essencial estar atento à quantidade de filtro solar aplicado”, afirma Sérgio Schalka, dermatologista e autor da pesquisa que foi publicada no periódico científico Photodermatology, Photoimmunology & Photomedicine.

Porém, alerta o especialista da USP, o fato de usar o produto corretamente não deve servir de justificativa para cometer excessos e expor-se de forma exacerbada ao sol. “O papel do filtro solar é minimizar os efeitos maléficos dos raios UVA e UVB. É uma ilusão pensar que ele bloqueia totalmente a radiação”, diz Schalka.

Roupas também completam a proteção ideal

O uso de roupas apropriadas, como, por exemplo, as de tecidos leves, que cubram a maior parte do corpo, e de chapéu com aba larga, que proteja não apenas a cabeça, mas o pescoço e as orelhas, ameniza o problema. Óculos de sol e protetor labial também auxiliam na proteção.

Mesmo com estas recomendações, vale ainda a conhecida dica do horário de exposição: evite o período entre 10 horas da manhã e 4 horas da tarde, quando a intensidade dos raios atinge seu máximo.

Abaixo, algumas dicas que todos já deveriam saber para proteger a pele dos efeitos maléficos da exposição excessiva ao sol durante o verão:

• Use sempre filtro solar, mesmo nos dias nublados e nos dias mais frios da estação;

• O filtro solar precisa ser aplicado meia hora antes da exposição ao sol e deve ser reposto a cada duas horas;

• Certifique-se sobre a quantidade ideal aplicada sobre a pele, para não comprometer o fator de proteção (FPS);

• Use sempre boné, chapéu, óculos de sol e camiseta ao se expor ao sol diretamente, especialmente nos horários críticos;

• Evite expor a pele ao sol entre 10h e 16h, mas se quiser sair nesse horário, duplique os cuidados acima e não se esqueça de se hidratar: além da pele é preciso ter cuidado com a insolação, especialmente entre as crianças e os adolescentes.

veja também