Walter Rodrigues cria coleção inspirada na globalização

Walter Rodrigues cria coleção inspirada na globalização

Atualizado: Sexta-feira, 7 Maio de 2010 as 3:16

Estrela brilhante no cenário da moda brasileira, Walter Rodrigues se inspirou nos uniformes japoneses e militares para criar sua coleção do inverno 2010. As livrarias paulistanas são uma parada obrigatória para o estilista que aposta na globalização como ferramenta necessário para o crescimento profissional.

Taste - Nos últimos 20 anos a moda brasileira ganhou destaque surpreendente no cenário internacional, e seu nome atravessou fronteiras. A que você atribui esse sucesso?

W.R. - Foi o resultado de várias confluências. Na década de 90 conseguimos organizar a moda brasileira criando um calendário e sistematizando o lançamento das coleções. Com isso tivemos acesso a compradores internacionais e a jornalistas do mundo inteiro. Mas houve também o acontecimento da descoberta do Brasil/moda, que chamou a atenção para o charme e a sensualidade impressa em nossos produtos, e que traduz o jeito brasileiro de ser. Os interessados por esse way of life apareceram, e aí...

Taste - Qual é o seu público alvo?

W.R. - Mulheres que saibam interpretar meu estilo (que é extremamente ligado ao meu gosto pessoal), um reflexo do meu conceito do que é ser moderno, funcional e confortável. E as que valorizam peças muito bem feitas, porque disso eu não abro mão.

Taste- Quais são as tendências mais fortes para a moda inverno 2010?

W.R. - Na minha coleção enfatizei os uniformes, que tanto podem ser inspirados no militarismo quanto na cultura japonesa. Mas também busquei inspiração no trabalho de Madeleine Vionnet, uma de minhas "ÍDOLAS", para construir vestidos amplos e sensuais.

Taste - Como a globalização influencia o trabalho dos estilistas?

W.R. - Como estilistas, devemos ter o olhar para tudo, até para definirmos qual caminho devemos seguir. E a globalização só nos ajudou. Hoje em dia podemos classificar a moda em vários patamares: a moda autoral, a moda de difusão e o fast fashion. Antes de tudo um estilista preciso definir para qual segmento trabalha ou quer trabalhar.

Taste - Se você não morasse no Brasil, onde gostaria de viver e por quê?

W.R. - Moraria no Japão para respirar arte, religião, e disciplina. Ou na China, mais precisamente em Beijing, para trabalhar lá. É lá que está o futuro.

Taste- No seu guarda roupa, qual a peça que você mais usa?

W.R. - Duas t-shirts, uma sobre a outra, uma calça kaki e um converse. Ah, e uma grande sacola. Bom, este é meu look completo...

Taste- Quais os lugares que você freqüenta em São Paulo?

W.R. - Adoro livrarias... Freqüento a Livraria Cultura, em qualquer dos endereços, e a Free Book. Sempre que posso vou ao shopping Pátio Higienópolis para comer no Rascal, sou assíduo freqüentador do restaurante Cosi (Rua Barão de Tatuí - 302), das feiras do Bexiga e da Benedito Calixto, e do Pão de Açúcar da Alameda Gabriel Monteiro da Silva, uma vez minha loja é vizinha dele.

veja também