6 razões para emagrecer antes de engravidar

6 razões para emagrecer antes de engravidar

Atualizado: Segunda-feira, 28 Novembro de 2011 as 1:43

O Brasil registra 68 mortes para cada 100 mil nascidos vivos, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas, os índices da mortalidade materna podem ser ainda maiores entre as gestantes gordinhas. Os riscos são ampliados tanto para as grávidas com sobrepeso quanto para as obesas.

Gestação e peso acima do ideal não combinam, e o ideal é emagrecer antes mesmo de o teste de gravidez apresentar resultado positivo. Isso porque, a cada quilo que se perde menor são os ricos atrelados a esse tipo gestante, garante Roseane Mattar, membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia de São Paulo (Sogesp) e professora da Escola Paulista de Medicina.

A especialista afirma ainda que toda paciente obesa deve ser considerada uma gestante de alto risco e merece cuidados especiais e um pré-natal mais cuidadoso. Além disto, é preciso ter um acompanhamento nutricional para segurar o ganho de peso.

Para saber se seu sobrepeso é preocupante basta calcular o seu Índice de Massa Corporal (IMC). Para isso, divida o peso pelo dobro da altura, se o resultado for superior a 25 indica sobrepeso. A preocupação, no entanto, deve ser redobrada caso o cálculo apresente números superiores a 30, um sinal de obesidade.

Separamos abaixo as principais razões apontadas por médicos para emagrecer antes de engravidar.

1. Dificuldade de fertilização Mulheres acima do peso são mais propensas a desenvolver a síndrome do ovário policístico, o que dificulta a fertilização, de acordo com Luiz Flávio Fernandes, ginecologista da clínica Medicina da Mulher.

2. Aumento da incidência da diabetes gestacional Se não controlada, a produção de glicose é acelerada, colocando a mãe e a criança em risco de morte. O bebê também pode nascer prematuramente e com macrossomia - doença que se caracteriza, principalmente, pelo excesso de peso. "Essa criança terá mais chances de ao longo da vida ter colesterol alto, problemas cardiovasculares e hipertensão", alerta o Dr. Luiz.

3. Chances de hipertensão Com o aumento da pressão, a mãe pode ter eclampsia - uma série de complicações da gravidez, caracterizada por convulsões. E, assim como o problema da diabetes, a hipertensão amplia as chances de óbito e a possibilidade da criança nascer prematura. Ainda pode ter restrições de crescimento durante toda a vida.

4. Intensificação dos efeitos colaterais Inchaços, dores nas costas, incômodos e desconfortos comuns às grávidas podem se intensificar em mães gordinhas. As estrias também tendem a aumentar.

5. Complicações no parto Pelo excesso de gordura das gestantes, o parto pode ser mais demorado e haver complicações anestésicas.

6. Complicações no pós-operatório  As gordinhas tendem a ter mais infeções no corte e a cicatrização costuma ser mais demorada.

veja também