MENU

Saúde

8 dúvidas sobre a secreção e o corrimento vaginal

Dr. Ricardo Andrade Freire, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, respondeu a oito principais questões.

Fonte: GuiameAtualizado: terça-feira, 8 de março de 2016 13:19
A secreção é a causa de um dos grandes incômodos relacionados à saúde íntima da mulher. (Foto: Reprodução)
A secreção é a causa de um dos grandes incômodos relacionados à saúde íntima da mulher. (Foto: Reprodução)

Embora a secreção faça parte da fisiologia normal da vagina, é a causa de um dos grandes incômodos relacionados à saúde íntima da mulher. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, Dr. Ricardo Andrade Freire, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, respondeu a oito principais questões:

Existe diferença entre corrimento e secreção vaginal?

Sim, existe. A secreção vaginal faz parte da fisiologia feminina, ou seja, não é indicativo de nenhuma doença. Já o corrimento é patológico. Assim como outros órgãos do corpo como a boca, a vagina precisa ser lubrificada e proteger sua mucosa e a secreção exerce esta função.

Por sua vez, o corrimento vaginal – cientificamente denominado leucorreia – não é normal e pode ser indicativo de algumas doenças.

Como diferenciar a secreção do corrimento?

A secreção vaginal, na maioria dos casos, é transparente ou opaca e não tem cheiro. Ela não causa nenhum tipo de desconforto, além de deixar a calcinha úmida de vez em quando.

Quando a secreção começa a mudar de coloração (ficar amarelada, esverdeada, amarronzada), passa a ter um odor fétido, causar coceira e irritação na região vaginal, além de a mulher sentir dor na relação sexual, significa que há algo anormal, que é o corrimento.

O tipo mais comum de corrimento é branco, espesso e sem odor e normalmente é indicativo de candidíase.

Existe algum período durante o ciclo menstrual em que a secreção vaginal fica mais intensa?

Sim, na ovulação, ou seja, no meio do ciclo, a secreção tem a viscosidade aumentada. Este fluido mais viscoso durante o período fértil da mulher serve exatamente para favorecer o deslocamento do espermatozoide até o óvulo.

Durante a gravidez a mulher também tem essa secreção? Em caso positivo, há alguma alteração relevante?

Sim, na gestação a vagina fica muito mais molhada. Há um aumento da vascularização pélvica, que aumenta a quantidade de secreção vaginal. O organismo libera um excesso de líquido que vai preparando a vagina para que ela fique mais úmida e mais elástica, a fim de favorecer o parto.

O uso frequente de absorvente íntimo pode aumentar a secreção natural?

Sim. O ideal é não fazer o uso frequente de absorvente íntimo nem de protetor diário. A região vaginal fica mais quente, abafada, aumentando a vascularização e as secreções glandulares.

Pílulas anticoncepcionais podem causar corrimento?

Não, mas podem aumentar a secreção natural da vagina.

E as relações sexuais?

Elas também não podem causar corrimento. A vagina foi feita para ter penetração e o sexo não pode alterar a saúde do órgão. Se a mulher passa a ter corrimento é porque alguma alteração patológica está ocorrendo.

Neste caso, a recomendação é procurar um ginecologista para fazer o diagnóstico correto e iniciar o tratamento adequado. O mais comum é com creme vaginal, associado à medicação via oral.

Se o tratamento não estiver funcionando, o problema pode estar na saúde do parceiro. Por isto, o ideal é que o tratamento seja feito pelo casal, não apenas pela mulher.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições