A hora de marcar o médico

A hora de marcar o médico

Atualizado: Terça-feira, 22 Fevereiro de 2011 as 9:01

Crianças vão ao pediatra, mulheres ao ginecologista e homens ao urologista (pelo menos deveriam). Além destas especialidades, a medicina coleciona uma série de outros títulos. A orientação antes de procurar as áreas mais específicas é sempre passar por um médico de base (clínico geral, por exemplo) para que o encaminhamento seja mais preciso.

O iG Saúde listou os principais sintomas tratados por seis especialistas e a importância de recorrer aos doutores. O hábito de visitar os consultórios é o que garante o diagnóstico precoce e a máxima “melhor prevenir do que remediar”.

Neurologista

Dores de cabeça constantes e problemas com o sono são apenas dois sintomas tratados e desvendados pelos neurologistas. Segundo a Academia Brasileira de Neurologia (ABN) “93% da população em geral já tiveram dor de cabeça em alguma época da vida. Deste total, 31% precisariam de tratamento médico adequado em razão da incapacidade funcional que as crises causam”. A entidade acrescenta que a visão do especialista é importante pois existem mais de 300 tipos de dor de cabeça, provocadas por motivos diferentes e que exigem tratamentos distintos.

Sobre o sono, a entidade diz que além da insônia e da apneia, o ronco também é fator que atrapalha a qualidade do descanso, essencial para fortalecer o sistema imunológico e prevenir doenças. A estimativa da Universidade Federal de São Paulo é que 33% da população tenham distúrbios do sono, sendo necessário procurar o especialista.

Oftalmologista

Desde criança, a visita ao oftalmologista precisa ser rotina (pelo menos a cada três anos, caso a pessoa não use óculos ou lentes de contato). Os problemas oftalmológicos podem ser provocados por fatores genéticos, hábitos de vida e pelo uso constante do computador e do aparelho de televisão.

Com o passar dos anos, o envelhecimento aproxima duas doenças oculares perigosas, o glaucoma e a catarata. Por isso, após os 60, é indicado encurtar os tempos entre as consultas e o ideal é fazer as visitas uma vez por ano, sem esquecer de medir a pressão dos olhos.

Alguns sinais podem indicar problemas oftalmológicos, como dores de cabeça, tontura, enjoos. Além das lentes de grau, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia orienta que os óculos de sol precisam ter proteção contra os raios ultravioletas. Até mesmo a cor das lentes influencia na proteção.

Dentista

Para uma saúde bucal impecável, o indicado pela dentista Denise Nunes, da clínica Sorridents, é visitar o especialista a cada seis meses. Não espere sintomas como dores ou mau-hálito aparecerem. As doenças da boca estão ligadas aos problemas cardíacos, à obesidade e também podem revelar outros problemas como transtorno alimentar. Até o ronco pode indicar problema dentário

Mesmo as crianças com dentição de leite não devem negligenciar a visita ao dentista, já que problemas nos dentes provisórios podem afetar toda a arcada exigindo intervenções futuras.

Cardiologista

Se você nunca foi ao cardiologista, provavelmente também não conhece informações numéricas essenciais que indicam boa saúde. Os números da pressão arterial (o ideal é 12 por 8) e também do Índice de Massa Corpórea (IMC) são imprescindíveis para direcionar mudanças de hábitos alimentares e de atividades físicas.

Por isso, caso essas aferições sejam um mistério, o ideal é procurar um médico de base e identificar se há a necessidade de uma visita ao especialista em coração. As mulheres que já estão na menopausa

acabam menos protegidas por causa das alterações hormonais e mais suscetíveis aos problemas cardíacos. Os homens, a partir dos 45 anos, já devem procurar este especialista para verificar se não há nenhum problema.

É importante ficar em alerta, porque os sinais do infarto, por exemplo, são múltiplos e quando afeta o sexo feminino as mortes são duas vezes mais frequentes. A vida moderna também acrescentou mais fatores influentes nas panes cardíacas e aspectos psicológicos também compõe o infarto do novo século.

Para evitar as mortes por problemas no coração, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) elaborou uma cartilha que garante a prevenção do músculo mais importante do organismo 24 horas por dia.

Gastroenterologista

O amendoim pesou no estômago. O camarão, a carne, o café, a maçã, o leite, a água também. Quando a lista de alimentos que agridem o estômago começa a ficar extensa demais, talvez o problema não esteja na comida e, sim, no seu organismo.

Azia, queimação, dores recorrentes são indícios de que a visita ao gastroenterologista é uma necessidade. Outro sintoma que também mostra a necessidade de procurar este especialista é a prisão de ventre severa. O refluxo gástrico também é tratado por este especialista, que normalmente ajuda o paciente a elaborar um cardápio que não seja tão agressivo para o estômago.

Endocrinologista

A epidemia de obesidade que afeta o mundo também fez aumentar o trabalho dos endocrinologistas. Estes especialistas identificam as razões para a chamada síndrome metabólica que, além do excesso de peso, também é caracterizada pelo diabetes e em alguns casos o ovário policístico.

Apesar do foco maior ser os pacientes obesos, os endocrinologistas também tratam outros problemas de saúde que podem não ser caracterizados pelo peso em excesso. A sensação de cansaço ou menstruação desregulada podem ser sinais de alterações na tireóide, parte do corpo também cuidada por esta especialidade médica.

O jogador de futebol recém aposentado, Ronaldo Fenômeno, recentemente declarou ser paciente de hipotireoidismo, doença que também pode resultar em ganho de quilos, e tratada por este tipo de especialista.

veja também