Abertas as inscrições para o programa de infertilidade do Hospital São Paulo

Abertas as inscrições para o programa de infertilidade do Hospital São Paulo

Atualizado: Quarta-feira, 23 Julho de 2008 as 12

O Setor de Reprodução Humana do Hospital São Paulo, ligado à UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), existe há 15 anos e realiza todos os tipos de tratamentos para a infertilidade, com procedimentos médicos gratuitos e quase todos os tipos de exames sem custos aos pacientes. O casal arca com a responsabilidade de pagar a medicação necessária, alguns exames e, em alguns casos, a internação hospitalar.

Os casais devem se inscrever para participar dos programas pelo telefone 0800 7723322. Eles iniciam os tratamentos após participarem de palestras que esclarecem os problemas existentes e o que se pode fazer. Em função da demanda, estes tratamentos são recomendados para mulheres com até 37 anos.

O Programa de Reprodução Humana do Hospital São Paulo conta com o apoio da Merck Serono.

"As pessoas só pagam pelos medicamentos ou serviços não custeados pelo SUS (Serviço Único de Saúde)", explica o Dr. Renato Fraietta, um dos coordenadores do serviço.

O Programa do Hospital São Paulo oferece todos os tratamentos para infertilidade, desde os mais simples (a estimulação ovariana), aos mais complexos, como a Fertilização in Vitro (FIV) e a Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóide (ICSI). Além de reversão de laqueadura, reversão de vasectomia e cirurgia de varicocele. Todos têm custos, por cada tentativa, que variam de R$ 2 mil (inseminação) a R$ 7 mil (fertilização in vitro), sempre relativos a medicamentos, exames e procedimentos não cobertos pelo SUS. Os procedimentos médicos e grande parte dos exames são gratuitos. Segundo o Dr. Fraietta, em clínicas particulares os mesmos serviços têm preços que variam de R$ 15 mil a R$ 50 mil.

No caso de reversão de laqueadura, o Dr. Fraietta informa que o índice de sucesso é de 80%, sendo que a paciente deve arcar com custos dos fios cirúrgicos e internação.  

Ainda dentro do programa são realizados tratamentos de reprodução assistida para pacientes HIV positivos, com risco quase zero de contaminação da criança. Além de tratamentos para pacientes com traumatismos raquimedulares.

Todas as técnicas de reprodução assistida são mais eficientes em mulheres até 37 anos, quando a chance de sucesso de gravidez pode chegar aos 50%. Para as mulheres com mais de 40 anos essas chances caem para cerca de 20%. Para os homens a idade não é tão preponderante. Busca-se um sêmen de boa qualidade, mesmo que os espermatozóides tenham que ser capturados nos testículos. Ao contrário das mulheres, que nascem com um número fixo de óvulos e os vão perdendo ao longo da vida, os homens produzem espermatozóides durante toda a vida.

Mais informações e inscrições para o Programa de Reprodução Humana do Hospital São Paulo podem ser conseguidas pelo telefone 0800 7723322.

Postado por: Claudia Moraes

veja também