Alimentação saudável para as mulheres

Alimentação saudável para as mulheres

Atualizado: Quinta-feira, 8 Maio de 2008 as 12

A busca pela qualidade de vida e a introdução de novos hábitos alimentares são fatos marcantes na sociedade contemporânea como um todo e, principalmente, entre as mulheres. Com toda a evolução do seu papel na sociedade, elas foram impulsionadas a mudar o estilo de vida e com isso comprometer o bem-estar e a longevidade. Por isso, em função de doenças que afetam mais as mulheres, os cuidados com a saúde e a alimentação devem seguir no caminho da prevenção de doenças cardiovasculares, câncer, artrite, artrose, osteoporose, TPM, acne, além da atenção às dificuldades de cada fase da mulher, como por exemplo, as deficiências da menopausa e as necessidades da gravidez.

Segundo Daniel Magnoni, cardiologista e nutrólogo do HCor - Hospital do Coração, para uma alimentação equilibrada, alguns fatores devem ser considerados na hora da elaboração do cardápio: peso, altura, idade, atividade física e intelectual, fator estresse, hábitos alimentares e riscos nutricionais. De acordo com a faixa etária mudam as necessidades de aumentar determinados nutrientes. As meninas no início do período menstrual possuem necessidades diferentes das mulheres executivas e muito diferentes daquelas de terceira idade.

Na adolescência, por exemplo, quando 85% das jovens têm acne com situação acentuada no período menstrual, deve-se aumentar o consumo de frutas e vegetais ricos em vitamina A (mamão, cenoura, abóbora) e C (laranja, limão, acerola, abacaxi) bem como elevar o consumo de água e diminuir o consumo de gorduras e açúcares.

Há um número crescente de mulheres jovens que morrem vítimas de doenças cardiovasculares, sendo as principais causas o acidente vascular cerebral e o infarto do miocárdio. O AVC lidera as estatísticas de causa de morte em mulheres entre 15 e 49 anos e em seguida, está o infarto. "Entre as jornadas de trabalho e afazeres domésticos, é importante que as mulheres organizem-se para cuidarem de si. A maioria não costuma fazer exames preventivos de problemas cardiovasculares e não conseguem parar de fumar, manter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos, controlar o colesterol entre outras atitudes importantes" afirma Daniel Magnoni. Além disso, o diabetes continua sendo um grande vilão para o coração feminino. A taxa de mortalidade de uma diabética que teve infarto é 20 vezes maior do que de uma mulher sem o problema.

Durante a fase adulta também é importante as mulheres cuidarem da saúde dos ossos, prevenindo a artrite, artrose e osteoporose. No Brasil, estima-se que cerca de 1,5 milhão de pessoas são atingidas pela artrite reumatóide - doença crônica que destrói as juntas do corpo -, podendo chegar até 5% em mulheres com mais de 55 anos. "A alimentação saudável e equilibrada é um dos fatores essenciais na prevenção desses tipos de doença. O azeite extra-virgem que contém antioxidantes, o leite e seus derivados, alimentos ricos em cálcio entre outros alimentos, além de caminhadas e controle do peso são algumas das tarefas necessárias para a prevenção", conclui Daniel Magnoni.

Fases da mulher 

Adolescência (acne, inchaço, anemia, formação dos ossos etc.)

Orientação - consumo de vitamina A (mamão, cenoura, abóbora) e C (laranja, limão, acerola, abacaxi), carnes, feijão, lentilha, cereais enriquecidos com ferro e alimentos cítricos. Evitar o consumo excessivo de sal, shoyo, caldo de carne ou frango industrializado, além dos alimentos processados. Consumir cálcio na forma de leite e derivados, associado ao consumo de vitamina D (leite, ovos, margarina e banhos de sol). 

Adulta (obstipação, TPM, prevenção da saúde dos ossos etc.)

Orientação - diminuir a ingestão de bebidas alcoólicas, café, sal; consumir leite e seus derivados, praticar atividade física entre outros. 

Madura (menopausa, osteoporose, artrite, artrose, câncer etc)

Orientação - consumir alimentos enriquecidos com fibra, hortaliças, frutas e legumes, cálcio, praticar atividades físicas etc. 

Idosa

Orientação - consumir alimentos como vegetais verdes e amarelos (ricos em vitamina C que ajudam a reduzir os danos às células) e ervilha e feijão (ricos em zinco que melhora o funcionamento do sistema imunológico), evitar os alimentos ricos em gordura e açúcares.

Postado por: Claudia Moraes  

veja também