Alimentos funcionais: benefícios à saúde

Alimentos funcionais: benefícios à saúde

Atualizado: Terça-feira, 12 Fevereiro de 2008 as 12

Cada vez mais a ciência tem demonstrado a importância da alimentação para a manutenção da saúde e qualidade de vida. Mais recentemente, foram descobertas várias substâncias presentes nos alimentos que, embora não sejam nutrientes, também apresentam inúmeros efeitos favoráveis à saúde.

Aos alimentos que os contêm dá-se o nome de alimentos funcionais, e espera-se que sejam capazes de proporcionar benefícios, além dos inerentes à sua composição nutricional. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa - Resoluções nº. 18 e nº. 19, de 30 de abril de 1999), alimentos funcionais são definidos como: "alimentos ou ingredientes com alegação de propriedades funcionais e/ou de saúde e que podem, além de funções nutricionais básicas, quando se tratar de nutriente, produzir efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou benéficos à saúde devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica".

Esses benefícios podem estar relacionados a efeitos gerais como, por exemplo, a ação antioxidante, que está relacionada com redução do risco de várias doenças causadas por radicais livres, enquanto outros têm ação específica no controle ou prevenção de doenças, como a elevação do colesterol (hipercolesterolemia).

É importante destacar que nenhum desses alimentos isoladamente pode ser usado como "fórmula mágica" para solucionar problemas de saúde. Para obter o efeito desejado, eles devem fazer parte de uma dieta equilibrada e ajustada à necessidade de cada indivíduo.

Conheça alguns alimentos funcionais, suas substâncias bioativas e funcionalidades:

AVEIA (Substância bioativa: Beta-D-glucanas)

 Alegação: A beta-D-glucana (fibra alimentar) auxilia na redução da absorção de colesterol. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Ação atribuída: É um tipo de fibra solúvel que, além da redução do colesterol, parece ter um possível efeito protetor no desenvolvimento do câncer de cólon e diminuição da absorção da glicose em diabéticos.

Observações: 40g de farelo de aveia ou 60g de farinha de aveia fornecem quantidades de beta-D-glucana com ação efetiva.

SOJA (Substância bioativa: Isoflavonas)

Alegação: O consumo diário de, pelo menos, 25g de proteína de soja pode auxiliar na diminuição do colesterol. Seu consumo deve vir associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Ação atribuída: Redução do risco de doença cardiovascular: reduz o LDL (colesterol ruim) e aumenta o HDL (colesterol bom). Outras ações estão sendo investigadas, como redução no risco de alguns tipos de câncer, principalmente os que são "alimentados" por hormônios. Parece contribuir para atenuar os sintomas da menopausa.

Observações: A soja apresenta em sua composição outras substâncias que podem contribuir para o efeito sobre a saúde cardiovascular, como as fibras, por exemplo.

TOMATE GOIABA VERMELHO (Substância bioativa: Licopeno)

Alegação: O licopeno tem ação antioxidante que protege as células contra os radicais livres. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Ação atribuída: Age como "varredor" de radicais livres. Dessa maneira, pode diminuir a oxidação LDL (colesterol ruim) e, conseqüentemente, as doenças cardiovasculares. A redução dos radicais livres também está associada a provável diminuição do risco de câncer ? no caso do licopeno, estudos indicam papel protetor principalmente contra o risco de câncer de próstata.

Observações: É o pigmento que fornece a cor vermelha a esses alimentos. Produtos derivados do tomate, como suco, molho e massa, mantêm o licopeno. Dê preferência aos tomates mais vermelhos, que apresentam maior concentração da substância.

PEIXES DE ÁGUA PROFUNDA E LINHAÇA (Substância bioativa: Ômega-3)

Alegação: O consumo de ácidos graxos ômega 3 auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos, desde que associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Ação atribuída: É um tipo de gordura que faz parte da membrana das células. Além da diminuição de triglicérides e conseqüente redução do risco de doenças cardiovasculares, também é importante para o desenvolvimento do cérebro e visão do feto e está sendo investigada em doenças de caráter inflamatório, como artrite ou auto-imune.

HORTALIÇAS (Substância bioativa: Luteína)

Alegação: A luteína tem ação antioxidante que protege as células contra os radicais livres. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Ação atribuída: Protege principalmente a visão contra a ação dos radicais livres, especialmente na redução do risco de desenvolvimento de catarata e degeneração macular.

Observações: Age em parceria com outra substância, a zeaxantina, que é encontrada principalmente nos alimentos de coloração amarela intensa, como o milho e a gema de ovo.

Fontes:Anvisa e Zeppelini Editorial e Comunicação

Postado por: Claudia Moraes

veja também