Apenas 35% do público-alvo da vacina contra H1N1 foi imunizado até agora

Apenas 35% do público-alvo da vacina contra H1N1 foi imunizado até agora

Atualizado: Terça-feira, 13 Abril de 2010 as 12

O número de pessoas vacinadas contra a gripe suína, ou influenza A (H1N1) chegou a 20,4 milhões em todo o país. Dados do Ministério da Saúde divulgados hoje (13) mostram que em três dias - sexta-feira (9), sábado (11) e segunda-feira (12) - houve um aumento de 57% nas imunizações. Mas as 20,4 milhões de pessoas vacinadas, até o momento, representam uma cobertura de apenas 34,8% em relação ao público-alvo das três primeiras etapas, que totalizam.

Os grupos já imunizados foram os trabalhadores da rede de atenção à saúde e indígenas. Até o dia 23, devem receber a vacina gestantes, doentes crônicos, crianças de 6 meses a 2 anos e adultos entre 20 e 29 anos.

A cobertura vacinal de grávidas atingiu até agora o percentual de 48,7% e a dos doentes crônicos com menos de 60 anos de 44,2%, muito abaixo da meta de 80%.

O resultado mais positivo está sendo obtido com a imunização de crianças de 6 meses a 2 anos, que registraram 75,3% de cobertura, e dos profissionais de saúde, que ficou em 97%.

A vacinação de adultos de 20 a 29 anos tem, até o momento, cobertura de 20,2%. Este é o maior público de todas as etapas com um total de 35,1 milhões de pessoas. A vacinação desse grupo segue até 23 de abril, juntamente com o de crianças, grávidas e doentes crônicos. Esses quatro grupos concentraram 90% dos casos de doenças respiratórias graves e mortes em 2009.

Mortes

Das 2.051 mortes registradas no ano passado, 1.539 (75%) ocorreram em pessoas com doenças crônicas. Entre as grávidas (189 morreram, ao todo), a mortalidade foi 50% maior do que na população em geral. Adultos entre 20 e 29 anos concentraram 20% dos óbitos (416, no total). Já as crianças menores de dois anos tiveram a maior taxa de incidência da doença no ano passado, com 154 casos por 100 mil habitantes.

Em 2010, até o dia 3 de abril, foram registrados 361 casos de pessoas internadas com doença respiratória grave em todo o país. Mais da metade (56,2%) ocorreu na Região Norte (203 casos). No mesmo período, houve 50 óbitos nos estados do Pará (25), Paraná (8), Amazonas (6), Amapá (2), Maranhão (2), de Minas Gerais (2), Goiás (1), do Piauí (1), Ceará (1), da Paraíba (1) e de São Paulo (1). Entre as mortes ocorridas este ano, 16 foram de grávidas.

*Com informações da Agência Brasil

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também