Argentina pede que grávidas fiquem em casa para evitar gripe suína

Argentina pede que grávidas fiquem em casa para evitar gripe suína

Atualizado: Quinta-feira, 2 Julho de 2009 as 12

O governo argentino concedeu licença a todas as mulheres grávidas, tanto as que trabalham no serviço público quanto as de empresas privadas, para ficarem em casa a fim de evitar o contato com o vírus Influenza A (H1N1), causador da gripe suína. Nesta quarta-feira, a Província de Buenos Aires (onde fica a capital do país) decretou emergência sanitária devido ao avanço da doença.

A administração estatal refoçou hospitais e suspendeu aulas da Universidade de Buenos Aires. Nos últimos cinco dias, o país teve um grande aumento de mortes causadas pela doença, passando de 26 para 43.

Reportagem do jornal argentino "El Clarín" informa nesta quinta-feira que o governo concedeu 15 dias de licença a todas as grávidas do país para evitar contágios de grande risco. Além disso, a presidente Cirstina Kirchner aprovou a concessão de 1 bilhão de pesos (cerca de R$ 509 milhões) para o combate à doença.

O novo ministro da saúde argentino, Juan Manzur, afirmou que "a situação é séria". Ele substituiu a ministra Graciela Ocaña, que renunciou na segunda-feira em meio a notícias de divergência com o governo em relação ao combate ao vírus. Segundo ele, o país está "passando por uma curva crescente [de casos]".

Com 43 mortes, a Argentina é o terceiro país em número de mortes por gripe suína, atrás apenas de Estados Unidos e México. O mais recente balanço da OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgado nesta quarta-feira, informa que 77.201 pessoas já contraíram a gripe suína, das quais 332 morreram.

No mês passado, a organização anunciou que a doença atingiu o nível de pandemia (epidemia generalizada). O termo tem relação apenas com a ampla distribuição geográfica do vírus, e não com a sua periculosidade. Os casos atingiram 120 países.

No Brasil, o Ministério da Saúde anunciou na noite desta quarta-feira que confirmados mais 14 casos de gripe suína, o que eleva o número de infectados no país para 694. O número de infectados é o acumulado de casos desde os primeiros registros de infecção no país, no dia 8 de maio --isso porque a maior parte desses pacientes já recebeu alta ou está em processo de recuperação.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também