As crianças também precisam se exercitar

As crianças também precisam se exercitar

Atualizado: Quinta-feira, 27 Março de 2008 as 12

Em tempos de Orkut e videogame, a garotada parece não querer mais saber de bola e bicicleta. Mas apesar de toda a tecnologia, ainda não inventaram uma pílula que substitua os benefícios da prática esportiva. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, cerca de 50% dos meninos e 25% das meninas em idade escolar fazem atividades físicas.

Segundo especialistas, a prática de atividades esportivas é recomendada para crianças de todas as idades, principalmente para se evitar problemas como a obesidade infantil.

As últimas estatísticas mostram que 30% das crianças, entre 6 e19 anos de idade, nos EUA, estão com sobrepeso ou obesas, o que as coloca em um risco crescente para doenças crônicas, como doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes e problemas emocionais na adolescência e idade adulta.

No Brasil, a obesidade infantil aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos. Um estudo publicado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, SBEM, indica que 15% das crianças no país são obesas.

Para Reinaldo Leite, sócio de uma loja especializada em produtos e acessórios esportivos para o público infantil, é preciso alguns cuidados para evitar futuros inconvenientes na vida dos pequenos, então o melhor a fazer é se movimentar.

Algumas modalidades esportivas, como natação, chegam a ser indicadas inclusive para bebês, a partir dos seis meses. Cada criança tem características físicas e psicológicas próprias. Mas, de modo geral, algumas atividades são indicadas para determinadas faixas etárias. Até os seis anos é recomendado atividades que envolvem brincadeiras e lazer.

Dos seis aos oito atividades de iniciação para reforçar as habilidades específicas de cada criança. Natação, corrida, salto, futebol, capoeira, surfe e ginástica são algumas das atividades indicadas. E dos nove aos 12 atividades que requisitam velocidade. Recomenda-se a prática de ciclismo e atletismo.

E a prática de esportes não serve só para perder peso, explica o executivo, ela é boa para a auto-estima e favorece a convivência social.

veja também