Autoestima diminui rapidamente nos idosos

Autoestima diminui rapidamente nos idosos

Atualizado: Sexta-feira, 9 Abril de 2010 as 12

A autoestima decresce em uma velocidade assustadora por volta da idade em que as pessoas se aposentam, de acordo com um estudo amplo que colheu dados de mais de 3,6 mil indivíduos entre 24 e 104 anos. "Uma boa autoestima está relacionada à melhor saúde, menos comportamentos agressivos, menores índices de depressão e, o melhor de tudo, com uma vida mais satisfatória", diz Ulrich Orth, pesquisador da Universidade de Basel, Suíça. "Saber como isso muda ao longo dos anos é importante."

O pesquisador nota que, em média, as mulheres mantêm os níveis de autoestima mais constantes do que os homens durante a idade adulta. Mas com o decorrer dos anos os dois resultados convergem para o mesmo ponto. O mesmo acontece quando comparados os dados das pessoas brancas e negras. Orth indica que pode haver diferenças não observadas quanto aos dados sobre gênero e raça que se tem até então.

"O que observamos até agora foi que um maior nível educacional, uma melhor situação econômica, saúde e status laboral mais alto resultam em uma autoestima maior em pessoas mais velhas. Quanto maior o nível econômico, melhor a saúde e, consequentemente, melhores níveis de autoestima", diz Orth.

"Entretanto, não é possível dizer que dinheiro está associado à melhor saúde. Isso pode ser o reflexo do sentimento de independência ou uma maior sensação de capacidade de contribuir positivamente em problemas familiares ou mesmo com a sociedade", explica o pesquisador.

Outro dado que o estudo aponta é que o nível de felicidade durante a vida não protege contra o declínio desta na idade avançada. Entretanto, observa Orth, os avanços na área médica e mesmo medidas de intervenção por parte dos profissionais de saúde mental, podem contribuir para uma vida mais saudável e longa.

Isso poderia resultar em uma vida profissional ativa nos idosos e esse tipo de atividade que promove mais contatos sociais e possibilidades de exercitar a resolução de problemas pode amenizar o nível de queda na autoestima.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também