AVC: tratado em até 4 horas é possível atenuar as sequelas do "derrame"

AVC: tratado em até 4 horas é possível atenuar as sequelas do "derrame"

Atualizado: Terça-feira, 10 Novembro de 2009 as 12

Semana passada o ator e diretor Anselmo Duarte, ícone do cinema brasileiro, morreu vítima de um "derrame", nome popular para acidente vascular cerebral (AVC), doença que é a principal causa de morte e incapacitação física no Brasil. Para se ter uma ideia da seriedade do problema, os números de morte por AVC superam até mesmo as fatalidades causadas por infartos cardíacos. Mas o que poucas pessoas sabem é que se o paciente for atendido rapidamente é possível reverter o quadro. Algumas vezes sem nenhuma sequela.

"O AVC ocorre quando há o entupimento ou o rompimento em alguma parte do sistema de vasos sanguíneos que irrigam o cérebro, especialmente no sistema arterial [vasos que saem do coração e irrigam todo o corpo]", explica Li Li Min, médico e pesquisador da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). "A grande maioria, em torno de 80% dos casos são do tipo isquêmico, ou seja, quando há o entupimento desses vazos por algum coágulo - um corpo sólido como placas de gordura, por exemplo", completa o pesquisador. Os 20% restantes, diz Li, são relativos ao AVC hemorrágico, ou seja, quando há o rompimento desses vasos.

Ao ser privado do oxigênio trazido pelo sangue, uma parte do cérebro pode ficar lesionado e dependendo de onde ocorrer essa lesão as sequelas terão diferentes manifestações. Alguns pacientes podem ter problemas motores, com a fala (afasia ), com a memória, entre diversos outros, e que podem acontecer todos de uma vez ou apenas isoladamente. Além dessas sequelas mais comuns, o AVC pode ocasionar diversos outros tipos de problemas (como a depressão) ou então levar à morte, dependendo da região atingida.

Seja rápido: "tempo é cérebro"

Até 4 horas após o início de um AVC é possível reverter o quadro. Quanto mais rápido, maiores as chances do problema não deixar nenhuma sequela. O tratamento é feito à base de trombolíticos (substâncias que podem dissolver o coágulo) ou mesmo com equipamentos que removem mecanicamente a placa de gordura.

Li lembra a frase que é usada para sensibilizar as pessoas sobre o assunto: "tempo é cérebro!". Quanto mais rápido for o atendimento, menores as sequelas deixadas pelo AVC, afirma.

"A abordagem é feita por uma equipe multidisciplinar e tanto o Samu - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ou 192 - quanto diversos centros médicos no Brasil já estão preparados para esse tipo de intervenção", explica Gabriel Freitas, da Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares. [veja alguns locais abaixo]

Como reconhecer: FAST

"Primeiro é preciso que as pessoas próximas do indivíduo, que está sendo acometido por um AVC, reconheçam os sintomas. Em inglês a sigla FAST descreve algumas características que facilitam esse reconhecimento", alerta Li.

A letra "F" é de facial, caso haja alguma alteração nos músculos da face, como a "boca entortando"; "A" de arms, ou seja, se o paciente não consegue fazer movimentos motores coordenados e perde a força muscular nos braços ou algum outro membro; "S" de speech, quando o indivíduo começa a falar descoordenadamente; e finalmente "T" de time: não há tempo a perder para chamar o serviço de emergência.

"Além desses fatores a pessoa que está sendo acometida por um AVC pode ainda apresentar fortes dores de cabeça, tontura e perda de visão", acrescenta Li.

Controle dos fatores de risco

Gabriel Freitas explica que há fatores de risco envolvidos com as chances de ter um AVC. Alguns são controláveis, outros não.

"Primeiro a má notícia: quanto maior a idade maior as chances de ter o problema. Se você for afrodescendente, o risco também é maior. Já os descendentes de asiáticos possuem uma tendência acima da média de desenvolver um AVC hemorrágico", enumera Freitas.

O especialista diz que o histórico familiar também pode indicar uma maior propensão. E no caso do gênero há algumas predisposições naturais: mulheres jovens estão mais propensas ao aneurisma (uma dilatação irrregular dos vasos que podem se romper e causar um AVC), enquanto os homens são a maioria nos casos de AVC na idade adulta.

"Agora os fatores que as pessoas podem, e devem, controlar: parar com o tabagismo, optar por uma dieta com pouca gordura e balanceada, controlar a obesidade, fazer ao menos 30 minutos de exercícios diários. Quanto mais desses fatores você controlar, menores as chances de ter um AVC em algum momento da vida", diz Freitas.

Onde encontrar ajuda

É possível encontrar informações sobre o atendimento ao acidente vascular cerebral na ONG "Rede Brasil AVC". Entre os projetos está a implantação da Rede Nacional de Atendimento ao AVC , com hospitais sendo capacitados em todos o país e interligados pelo SAMU.

veja também