MENU

Saúde

Aveia, o cereal do bem

Aveia, o cereal do bem

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

Alimento combate o colesterol ruim

A aveia ocupa um destaque especial entre os alimentos pelas inúmeras funções que representa de bom para o organismo humano. O poder da aveia foi descoberto há mais de 30 anos quando cientistas dinamarqueses, depois de muitos testes, descobriram que o cereal tem capacidade para combater diversos males, inclusive,  o colesterol. A tese dos dinamarqueses vem sendo comprovada por experiências realizadas por cientistas do mundo inteiro. Em recente estudo, o professor Michael C. Davidson, professor assistente de cardiologia do Centro Médico do Rush-Presbyterian-St Luke, em Chicago, concluiu que nem é preciso comer grandes quantidades para que o organismo seja beneficiado. Ele concluiu que a maior dose que um adulto precisa ingerir diariamente é 60 gramas (2/3 de xícara) de farelo de aveia por dia. Segundo o médico, essa quantidade pode reduzir em até 16% o colesterol ruim (LDL) nos indivíduos submetidos a uma dieta pobre em gorduras. Metade disso - 30 gramas (1/3 de xícara), reduz em 10% os níveis de colesterol.

Outra pesquisa indicou que o consumo diário do farelo de aveia possa aumentar em até 15% o bom colesterol (HDL), depois de dois ou três meses de ingestão diária. A aveia é um cereal muito nutritivo, que possui cálcio, ferro, proteínas, vitaminas, carboidratos e fibras. A principal substância de combate ao colesterol presente na aveia é o beta-glutano, uma fibra viscosa solúvel que se consolida no trato intestinal. Isso interfere na absorção e produção do colesterol, ou seja, uma quantidade maior de colesterol é eliminada da corrente sangüínea.

A popularidade do consumo de aveia aumentou muito a partir de janeiro de 1997, quando o "Food and Drug Administration" (órgão americano que regula alimentos e medicamentos) decidiu que alimentos que continham muita aveia poderiam ter rótulo dizendo que podem reduzir o risco de doença cardíaca quando combinados com dieta de pouca gordura. A aveia também tem sido utilizada em alguns países na dieta de atletas devido ao seu alto conteúdo de carboidratos complexos e fibras. Cientistas chegaram à conclusão de que o consumo de aveia em diferentes quantidades está associado ao controle da glicemia (açúcar no sangue), manutenção e diminuição do colesterol sangüíneo, controle da pressão arterial e regulagem do trânsito intestinal, evitando a obstipação (intestino preso).

A fibra solúvel presente na aveia, chamada B-glucana é responsável por parte das vantagens nutricionais proporcionadas pelo consumo da aveia, pois retarda o esvaziamento gástrico, o que tem como resultado uma maior saciedade. Ao entrarem em contato com a água, as fibras formam géis que tornam o bolo fecal maior e mais viscoso e, com isso, ocorre uma menor absorção de substâncias presentes neste bolo, como glicose e colesterol, devido a uma menor ação de enzimas digestivas.

Em relação ao seu poder hipocolesterolemiante, estudos sugerem que a ação da B-glucana na diminuição do colesterol no sangue estaria ligada à absorção de ácidos biliares. Estes são excretados pelas fezes, diminuindo a absorção de colesterol ou ácidos graxos de cadeia curta produzidos pela ação das fibras presentes no cólon inibindo a síntese de colesterol no fígado.

O tipo de aveia que possui maior quantidade de B-glucanas é o farelo de aveia, seguindo dos flocos e farinha de aveia. Existem ainda outros alimentos que possuem B-glucanas, como soja cozida, feijão branco cozido, grão de bico cozido, brócolis, farinha de milho, manga e trigo para quibe.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições