Barulho que incomoda

Barulho que incomoda

Atualizado: Terça-feira, 28 Julho de 2009 as 12

O excesso de barulho vem causando surdez em moradores de centros urbanos. Essa foi a conclusão que o especialista Cláudio Coelho chegou ao finalizar pesquisa feita nos bairros mais movimentados do Rio de Janeiro. O barulho toma conta das ruas.

Uma das preocupações do especialista ao fazer a pesquisa foi analisar até que ponto uma pessoa exposta à poluição sonora diária pode sofrer alterações orgânicas além da surdez. O otorrinolaringologista Cláudio Coelho constatou que a perda auditiva provocada pela poluição sonora também eleva a pressão arterial, causa insônia, irritabilidade, indisposição, falta de atenção, agressividade e até perda do desejo sexual.

Para Cláudio, a poluição sonora das grandes cidades pode estar causando perda auditiva principalmente nas pessoas expostas a ruídos acima de 85 decibéis por um longo período diário. "O problema não é apenas durante o dia, à noite o problema continua", afirma. Um recente estudo da organização Mundial de Saúde (OMS) constatou o aumento de 15% da surdez entre a população. "O mal começa, já na saída de casa para o trabalho, com o barulho das buzinas dos carros e o dos motores desregulados dos ônibus", diz Coelho, que observa: "Certos profissionais trabalham tendo que suportar altos níveis de decibéis, como operários de obra, ferroviário, motorista, guarda de trânsito, DJ, entre outros", diz.

O barulho não pode ultrapassar de 55 decibéis de dia e 50 à noite. Há ruas em que os ruídos chegam a 103 decibéis. A surdez induzida pelo ruído aumentou cerca de 10% no Brasil, o que para o especialista, é um agravante.

Maneiras de evitar o problema

Para o especialista, existem formas para se evitar que os ruídos intensos prejudiquem o estado geral do organismo. Descansar o ouvido pelo menos 30 minutos por dia é um deles, segundo o médico. "As pessoas devem desligar-se de tudo por alguns minutos durante o dia. Ficar uns 10 minutos na parte da manhã, 10 minutos à tarde e 10 minuntos à noite, em locais de silêncio completo", aconselha. E dá outra dica: dormir no maior silêncio possível e utilizar tampões nos ouvidos. "Assim a pessoa não acorda no meio da noite e descansa mais o tímpano", explica.

Cláudio Coelho lembra que é preciso ter atenção para os primeiros sinais de deficiência auditiva. "A surdez começa a aparecer muito devagar: a primeira dificuldade é escutar o sinal do telefone ou da campainha; a seguir, não se consegue compreender algumas sílabas das palavras. O terceiro sintoma é o assobio no ouvido", descreve. Aos primeiros sintomas de dificuldade em ouvir bem, a vítima deve procurar um especialista, porque a surdez provoca isolamento e depressão.

Os males do barulho

Dilatação da pupila, insônia, irritabilidade, problemas na estrutura nervosa do ouvido, aumento hormonal da tireóide, tensão muscular, palpitação, hipertensão, náusea e contração da musculatura do estômago e do intestino.

Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, responsável pela fiscalização dos índices de ruído na cidade, 60% das reclamações recebidas pelo órgão são relacionadas a agressão sonora. Isso mostra como a população está incomodada com o barulho na cidade.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também