Cai o número de doadores de sangue por causa da gripe A

Cai o número de doadores de sangue por causa da gripe A

Atualizado: Quinta-feira, 13 Maio de 2010 as 8:51

A queda no número de doadores nos bancos de sangue das principais cidades do país chega a números alarmantes. Além do frio, outro motivo para a redução da doação foi a campanha de vacinação contra a gripe A. Como os doadores que tomaram a vacina têm que aguardar pelo menos quatro semanas antes de doar de novo, os estoques diminuíram muito, segundo as secretarias estaduais de saúde.

Em Belo Horizonte, por exemplo, houve uma queda de 60% na doação de sangue. Segundo um policial local, o estoque chegou a um nível tão crítico que o próprio banco de sangue sugeriu aos hospitais públicos e particulares da cidade que adiassem cirurgias que não fossem de emergência. Em São Paulo, houve uma queda de 20% e no Rio de Janeiro, 15%.

A doação de sangue é muito importante, principalmente para os hemofílicos, que precisam de sangue três vezes por mês.

Quais os benefícios da doação de sangue?

Doar sangue não dói, é fácil, rápido, não afeta a sua saúde e pode salvar muitas vidas. O sangue é um composto de células que cumprem funções como levar oxigênio a cada parte do corpo, defender nosso organismo contra infecções e participar na coagulação. Não existe nada que o substitua. Assim, ele é vital e quando uma pessoa precisa de uma transfusão de sangue. A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde porque a recuperação é imediata após a doação. Uma pessoa adulta tem em média cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450 ml de sangue.

Para garantir a segurança do processo, o possível doador passa antes por uma entrevista que tem o objetivo de avaliar seu estado de saúde. Abaixo, veja as recomendações do Ministério da Saúde para quem quer ser doador.

Condições básicas para doar sangue:

- Sentir-se bem, com saúde;

- Apresentar documento com foto, válido em todo território nacional;

- Ter entre 18 e 65 anos de idade;

- Ter peso acima de 50 Kg.

Recomendações para o dia da doação:

- Nunca vá doar sangue em jejum;

- Faça um repouso mínimo de seis horas na noite anterior a doação;

- Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores;

- Evitar fumar por pelo menos duas horas antes da doação;

- Evitar alimentos gordurosos nas três horas antecedentes a doação;

- Interromper as atividades por 12 horas as pessoas que exercem profissões como: pilotar avião ou helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, subir em andaimes e praticar paraquedismo ou mergulho.

Quem não pode doar?

- Quem teve diagnóstico de hepatite após os 10 anos de idade;

- Mulheres grávidas ou amamentando;

- Pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas;

- Usuários de drogas;

- Aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos.

O que acontece depois da doação?

O doador recebe um lanche, instruções referentes ao seu bem estar e poderá posteriormente conhecer os resultados dos exames que serão feitos em seu sangue. Estes testes detectarão doenças como Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites B e C, além de outro exame para saber o tipo sanguíneo. Se for necessário confirmar algum destes testes, o doador será convocado para coletar uma nova amostra e se necessário, encaminhado a um serviço de saúde.

O que acontece com o sangue doado?

Todo sangue doado é separado em diferentes componentes (como hemácias, plaquetas e plasma) e assim poderá beneficiar mais de um paciente com apenas uma unidade coletada. Os componentes são distribuídos para os hospitais da cidade para atender aos casos de emergência e aos pacientes internados.

Onde doar

Você pode doar sangue nos postos fixos do Hemocentro do seu estado. As coletas também podem ser feitas através das equipes móveis. Para ter mais opções, procure a Secretaria de Saúde do seu Estado .

veja também